Home / Vaginose Bacteriana

O que é vaginose bacteriana?

A vaginose bacteriana é uma das mais comuns infecções do trato vaginal feminino, provocada geralmente por bactérias, nomeadamente a Gardnerella vaginalis.

Para alguns especialistas, a vaginose bacteriana não pode ser considerada uma doença sexualmente transmissível, ou DST, uma vez que este tipo de bactéria é normalmente presente no organismo humano, embora a transmissão possa ocorrer pelo contato íntimo ou através de relações sexuais.

Vaginose Bacteriana

A vaginose bacteriana é a causa mais comum do aparecimento de corrimento genital anormal e tem como segunda causa a candidíase. A infecção provocada pelas bactérias desencadeia o desequilíbrio da flora vaginal, fazendo com que aumente a concentração de bactérias presentes na vagina. Com o aumento da concentração de bactérias, a vaginose bacteriana pode apresentar uma flora mista de bactérias, incluindo, além da Gardnerella vaginalis, também a peptoestretococus e a micoplasma hominis.

Durante o período da menstruação, a vaginose bacteriana costuma provocar um odor desagradável e forte ("cheiro a peixe"), sendo esse o período em que ocorre aumento na ação das bactérias.

Causas da vaginose bacteriana

A vaginose bacteriana é a infecção vaginal provocada pelo crescimento exagerado da bactéria anaeróbica Gardnerella vaginalis. Anaeróbica indica que a bactéria não necessita de oxigênio para sobreviver e se proliferar.

Pequenas quantidades da bactéria são normalmente encontradas na vagina e a infecção acontece quando ocorre um desequilíbrio entre os organismos presentes no órgão genial feminino, permitindo o crescimento da Gardnerella de forma exagerada.

A bactéria Lactobacilli, também presente na vagina, tem uma acção protectora e quando ocorre um desequilíbrio na flora e a mesma deixa de existir em grandes quantidades, deixa de poder realizar seu trabalho agindo como desinfetante natural e mantendo o equilíbrio normal e saudável dos microrganismos presentes na vagina e, quando isso ocorre, a infecção tem início.

A causa exata da infecção e do crescimento exagerado das bactérias ainda é desconhecida, embora se saiba que é uma infecção que pode ser transmitida através de relações sexuais e que seja mais comum em mulheres com múltiplos parceiros.

Alguns casos de vaginose bacteriana podem ocorrer após uma relação sexual com um novo parceiro ou após uma ducha vaginal, podendo ser também bastante comum em lésbicas ou em mulheres que nunca foram sexualmente ativas.

A vaginose bacteriana pode ser uma infecção recorrente, retornando mesmo que se faça o tratamento e se siga os conselhos médicos, usando todas as medicações. Caso isso ocorra, é necessário que a mulher faça o tratamento com maior frequência e por períodos mais longos.

Grupos de risco da vaginose bacteriana

Estudos feitos com mulheres portadoras de vaginose bacteriana mostram que a sua incidência é bastante comum, podendo atingir qualquer mulher em idade reprodutiva. Dessa forma, não podemos considerar a existência de grupos de risco específico, embora a vaginose bacteriana seja um problema mais comum em:

  • mulheres que mantém relações sexuais com múltiplos parceiros, como é o caso da prostituição.
  • mulheres que mantém relações sexuais com outras mulheres, havendo também maior possibilidade de transmissão entre as parceiras.
  • mulheres que fazem uso do DIU ou que são fumantes, exigindo, nesses casos, maiores cuidados, uma vez que a infecção é recorrente, podendo atingir novamente em pouco tempo

Outro problema levantado pelos estudos sobre vaginose bacteriana é a possibilidade maior de uma mulher com a infecção contrair o vírus HIV.

Quais os sintomas da vaginose bacteriana?

A maior parte das mulheres que apresentam vaginose bacteriana não sentem qualquer tipo de sintoma, mas existem aquelas que mostram os principais sintomas da infecção:

Alteração do Corrimento Vaginal

  • Odor vaginal intenso ("cheiro a peixe")
  • Corrimento leitoso e acinzentado.
  • Corrimento fino e aquoso

O corrimento pode ser leve ou forte e o cheiro tende a piorar no período próximo à menstruação ou depois de uma relação sexual sem proteção. A mistura do sêmen com as secreções vaginais, cria um ambiente mais propício à infecção, tornando o cheiro mais forte.

Outros sintomas comuns

Os sintomas mais comuns também incluem:

  • Prurido vaginal
  • Vermelhidão
  • Dores com a relação sexual
  • Pequenas bolhas na vagina

Como a vaginose bacteriana não apresenta uma reação inflamatória maior, o reconhecimento do problema só pode ser percebido através do surgimento de prurido ou de cheiro forte. No caso de sentir algum desses sintomas, a mulher infectada deve procurar um médico e solicitar exame pélvico de rotina ou teste dos fluidos vaginais para analisar a presença da infecção.

Atenção: lavar com água e sabão várias vezes para remover o odor causado pela vaginose bacteriana, pode na verdade aumentar a infecção. A vaginose bacteriana provoca menos frequentemente comichão ou irritação. É importante fazer o diagnóstico da vaginose bacteriana a tempo, a fim de eliminar a possibilidade de outras infecções, tais como a tricomoníase ou a gonorreia, podendo estas resultar também num corrimento vaginal anormal.

Diagnóstico da vaginose bacteriana

Uma das maneiras de diagnosticar a vaginose bacteriana é através de exames médicos e da análise do corrimento vaginal. O médico deve usar um cotonete para retirar um pouco da amostra do corrimento e medir a acidez do mesmo através de um medidor de pH. Se a vagina estiver menos ácida do que o normal, ou seja, com pH maior do que 4,5, pode ser um sinal de que a mulher apresenta vaginose bacteriana.

A observação também pode ser feita através de microscópio, verificando a presença ou não de bactérias normais, como o Lactobacilli. Caso essas bactérias não estejam presentes, também é um sinal de que a mulher está infectada.

O diagnóstico de vaginose bacteriana também pode ser feito através do exame preventivo denominado Papanicolau ou em exames de rotina quando solicitados pelo ginecologista, desde que a mulher apresente qualquer sintoma da infecção.

Diagnostico da vaginose bacteriana

Tratamento e medicamentos para Vaginose Bacteriana

Se desenvolver sintomas de vaginose bacteriana, o tratamento e recomendação médica será o uso de antibióticos. O tratamento mais eficaz é feito através de terapia antibiótica oral (comprimidos) de Metronidazole (Flagyl) existindo também a alternativa de solução tópica vaginal (creme Dalacin)

O Metronidazol é o antibiótico oral mais usado e eficaz no tratamento de vaginose bacteriana. A medicação funciona de forma rápida para curar a infecção, embora a mulher tenha de se certificar que complete o tratamento para que tenha bons resultados e evite re-incidência. A equipa médica da 121doc recomenda o uso de um comprimido de 400mg Metronidazole (Flagyl) três vezes ao dia durante sete dias.

A alternativa ao Metronidazol é o creme vaginal Dalacin. Uma solução tópica eficaz para o tratamento da infecção, tendo a capacidade de eliminar as bactérias presentes na vagina, trazendo a cura em poucos dias de uso. A caixa de Dalacin traz aplicadores e o tratamento é feito em apenas uma semana.

Tratamento Administração Princípio Activo Duração Posologia Saiba mais
Metronidazol
Comprimidos Metronidazol 7 dias 3 vezes/dia Consulta
Dalacin
Creme Clindamicina 3 a 7 dias 1 vez/ dia Consulta

Algumas mulheres escolhem o gel vaginal, uma vez que os comprimidos podem provocar náuseas e hálito metálico, enquanto que outras a preferem por não se sentirem confortáveis em colocar cremes na vagina. As duas formas de tratamento, no entanto, são bastante efetivas.

O tratamento, se seguido correctamente, é eficaz em 85-90% dos casos, embora as recidivas sejam muito comuns. Em cerca de 25% das mulheres, a vaginose reaparece ao fim de um mês, pelo que o tratamento deve ser repetido.

Como prevenir a vaginose bacteriana?

O problema da vaginose bacteriana é que existe mudanças no seu pH vaginal durante a vida, embora ainda não esteja claro como e por que isso acontece. O pH normal varia de acordo com a idade e é, de qualquer modo, difícil de regular. Existem tratamentos que indicam que podem aumentar as "boas bactérias", mas não há nenhuma prova científica de que eles funcionam.

Lavar diariamente e evitar relações sexuais desprotegidas

O melhor conselho é uma boa higiene vaginal, nomeadamente lavar suavemente a área uma ou duas vezes por dia com água morna e um sabão íntimo com um pH baixo. Tenha também em conta durante qualquer acto sexual desprotegido existe uma troca de bactérias entre os parceiros o que pode perturbar o equilíbrio da sua flora bacteriana natural, sem necessariamente levar a uma doença sexualmente transmissível. Quando você tem um novo parceiro, o risco é sempre um pouco maior para sofrer deste tipo de vaginite.

Lembre-se também de evitar o sexo se você está sofrendo de vaginose porque pode piorar os sintomas e irritação que você já está experimentando. A vaginose não infecta os homens como uma doença, mas é possível que as bactérias permaneçam com o parceiro e infectem outra vez depois que você se livrar da infecção.

Os preservativos podem ajudar a reduzir o risco de desenvolvimento da vaginose bacteriana em mulheres sexualmente ativos, uma vez que ajudam a impedir o sêmen de mudar as bactérias vaginais.

Mesmo sendo um problema comum em mulheres jovens que mantém relações sexuais com diversos parceiros, o tratamento do parceiro masculino não previne futuras infecções.

Riscos possíveis da vaginose bacteriana

Na maior parte dos casos, a vaginose bacteriana não provoca maiores complicações, a não ser o incómodo do cheio forte e do corrimento vaginal. No entanto, a infecção pode trazer algumas complicações mais sérias, caso não seja feito o tratamento em tempo adequado:

  • Inflamação pélvica, a qual envolve a infecção do tracto genital superior (DIP)
  • Infertilidade, causada por danos nas trompas de Falópio
  • Doenças sexualmente transmissíveis como a gonorreia, clamídia, herpes genital, VIH e infecção pelo vírus do papiloma humano (HPV).

As mulheres grávidas que sofrem de vaginose bacteriana podem também ter um maior risco de: corioamnionite (inflamação das membranas fetais), parto prematuro e endometrite pós-parto (irritação ou inflamação do revestimento interno do útero após o parto).

Comprar medicamento para tratamento de Vaginose bacteriona online na 121doc

Você pode encomendar rapidamente e facilmente o antibiótico Metronidazole (Flagyl) ou o creme Dalacin na 121doc. Estes medicamentos têm a obrigatoriedade de prescrição. Mas não se preocupe pois nós já incluímos esse serviço no preço do medicamento. Só precisa de responder a um pequeno questionário sobre sua saúde e seu problema. Um dos nossos médicos irá rever as suas respostas para garantir que o tratamento é adequado para si. Se a consulta for aprovada, uma receita será impressa e enviada para nossa farmácia que preparará o tratamento num pacote discreto e enviá-lo para o endereço de entrega de sua escolha - tudo dentro de 24 horas (na Europa) e em 7 dias no Brasil.

Todos os nossos pacotes são enviados discretamente e não têm qualquer informação sobre o medicamento ou condição de saúde para que o encomendou. Se você tiver alguma dúvida sobre a consulta, pedido ou entrega, entre em contato conosco. Pode contactar-nos por e-mail, chat ao vivo e telefone.

Qualquer website que venda tratamento para vaginose bacteriana sem fornecer a receita, deve ser evitado. Tenha cuidado com a sua saúde. Apenas confie em empresas e farmácias credenciadas como a 121doc.

Ver todos os tratamentos

  • Pedido verificado por um médico
  • Receita inclusa
  • Entrega inclusa
Creme

Um tratamento geralmente dura entre três e sete dias. Você administrará as doses com um aplicador.

Comprimidos

Tome os comprimidos diariamente, durante sete dias. Este tratamento tem mais efeitos colaterais do que o creme e você não deve beber álcool.

Metronidazol
Preços a partir de:
R$299,99

Perguntas frequentes

O que está incluído na consulta online?
Será um médico que analisará minha consulta?
O que acontece depois de eu fazer meu pedido?
O preço inclui tudo?
Posso fazer mais de um pedido por vez?
Quais as minhas opções de entrega?
É seguro comprar medicamentos com receita online?
Posso entrar em contato com seus médicos diretamente?
Este serviço é discreto?
O que está incluído na consulta online?

Nossas consultas incluem perguntas gerais sobre sua saúde (por exemplo, níveis de pressão arterial, doenças que você já teve ou tem), bem como questões específicas relacionadas ao tratamento que você selecionou. Também solicitaremos informações pessoais relevantes para concluir o pagamento e a entrega.

Todas as perguntas são necessárias e suas respostas e detalhes não serão compartilhados com terceiros. Somente nossos médicos têm acesso às suas informações médicas.

Será um médico que analisará minha consulta?

É uma exigência legal e médica que um médico primeiro analise as consultas concluídas. Temos uma equipe de médicos e especialistas que irão garantir que o tratamento selecionado seja seguro para você usar. Todas as informações são armazenadas de forma segura e confidencial

Observe que não garantimos que nossos médicos aprovarão o tratamento.

O que acontece depois de eu fazer meu pedido?

A sua consulta será enviada diretamente para a nossa equipa médica, onde será analisada por um dos nossos médicos.

Se o tratamento escolhido for considerado adequado para você, eles então emitirão uma receita. A sua receita é encaminhada para a nossa farmácia, onde o seu medicamento será dispensado e enviado para você pelo método selecionado.

O preço inclui tudo?

Sim. Todos os pedidos de 121doc incluem uma consulta médica, uma receita e entrega do medicamento. Não há custos adicionais. Acreditamos na prestação de um serviço seguro e fácil de usar.

Posso fazer mais de um pedido por vez?

Sim. No entanto, certos medicamentos podem interagir negativamente entre si. Nossos médicos podem não aprovar seu pedido com base nisso.

Você pode colocar vários itens em uma cesta e fazer uma consulta para todos.

Se você quiser fazer um segundo pedido de um medicamento diferente, terá que fazer uma consulta separada.

Quais as minhas opções de entrega?

Para sua comodidade realizamos entregas em todo o território nacional. Oferecemos a seguinte modalidade de entrega:

  • Entrega pelos Correios (Enviado via Royal Mail - correios do Reino Unido, e entregue na sua casa pelos Correios do Brasil)

Todas as encomendas são rastreadas e exigem assinatura na entrega. Se você não estiver disponível para receber o medicamento, um amigo ou parente pode assinar no seu lugar. Se não houver ninguém para receber, o carteiro tentará fazer a entrega mais duas vezes. Se ele não conseguir, você terá que retirar a encomenda na agência, desde que todas as informações no pacote estejam corretas.

Não cobramos frete pela entrega ou rastreamento do seu pedido, e seu pedido é isento de imposto (sem tributação - alíquota zero).

É seguro comprar medicamentos com receita online?

Para garantir que você está comprando de uma empresa respeitável, você deve verificar se os órgãos reguladores de seu país de origem os verificam.

No Reino Unido, é a Care Quality Commission (CQC) e a Medicines and Healthcare products Regulatory Agency (MHRA). Os nossos certificados podem ser vistos aqui.

Posso entrar em contato com seus médicos diretamente?

Você poderá enviar perguntas referentes ao uso do tratamento desejado entrando em contato com o serviço de Atendimento ao Cliente. Suas perguntas serão encaminhadas para um dos nossos médicos que realizam o atendimento a pacientes Brasileiros. Alternativamente, faça login em sua conta e envie uma mensagem. Nossa equipe médica encaminhará sua consulta ao médico responsável.

Este serviço é discreto?

A privacidade de nossos pacientes é de extrema importância. Todas as suas informações médicas são armazenadas de forma segura e apenas visualizadas por nossos médicos. Não compartilhamos seus dados com terceiros. Também somos inspecionados regularmente por várias agências reguladoras do Reino Unido, como a Information Commissioner's Office (ICO).

Todos os pedidos serão exibidos em faturas, extratos bancários, etc. como ‘HHC Ltd’.

Ajuda