• Serviço privado e confidencialEmbalagem discreta e pagamento confidencial.
  • Medicamentos Originais da nossa farmácia sediada no Reino Unido
  • Serviço incluído no preço e parcelamento Consulta, prescrição e entrega no país todo
  • Entrega expresso para qualquer local de residência.
Início / Disfunção Eréctil / Viagra / A dose certa do Viagra

A dose certa do Viagra

A impotência sexual, um dos mais graves problemas de disfunção erétil para o homem, é uma questão de saúde que acomete a população do sexo masculino, gerando dificuldade ou incapacidade de manter uma relação sexual satisfatória.

O problema chega a afetar 10% dos homens entre 20 e 40 anos, aumentando com a passagem do tempo e podendo chegar a 50% dos homens acima dos 40 anos. Ao mesmo tempo, no entanto, é uma condição que pode atingir qualquer homem em algum momento de sua vida.

A disfunção erétil, manifestando-se através da impotência sexual pode ser episódica ou recorrente e, nesse caso, é recomendado que o paciente procure um médico e faça uso de medicamentos, além de, em determinados casos, tratamento psicoterapêutico.

Atualmente, o mercado farmacêutico oferece uma grande variedade de medicamentos para a disfunção erétil. Até 2003, no entanto, o único disponível para o tratamento de impotência sexual era o Viagra.

O Viagra está no mercado desde 1998 quando foi liberado pela Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos, tendo se tornado o primeiro medicamento aprovado para tratamento de disfunção erétil.

Seus efeitos e características foram extensamente estudos e documentados. Seu princípio ativo, o citrato de Sildenafil, é uma substância que age como vasodilatador, facilitando o fluxo sanguíneo na área genital e possibilitando a ereção e uma relação sexual satisfatória.

Conheça as doses do Viagra:

Doses do Viagra
Viagra 25mg Viagra 50mg Viagra 100mg
25MG 50MG 100MG

Qual é a dose certa do Viagra?

Durante muito tempo o tratamento para a impotência sexual era restrito a injeções penianas, mecanismos que criavam vácuo ou próteses implantadas no pênis através de cirurgias.

Desde o final da década de 1990, no entanto, o laboratório Pfizer apresentou uma opção muito mais cômoda e simples para a disfunção erétil: uma substância inibidora da fosfodiesterase tipo 5, ou PDE5, que foi denominada citrato de Sildenafil. O medicamento desenvolvido com essa substância é comercializado com o nome de Viagra.

Hoje, o Viagra não é apenas o medicamento mais popular no mundo todo para o tratamento de disfunção erétil. Também é um dos mais populares se levarmos em conta todas as categorias de medicação destinadas para esse tipo de problema que atinge o sexo masculino.

As estimativas demonstram que o Viagra é o sexo medicamento mais vendido no mundo nos últimos anos. O segredo de seu sucesso é seu alto nível de eficácia, chegando a 80% em casos de disfunção erétil de diversas causas e níveis.

Depois de ingerido, o citrato de Sildenafil passa a agir em poucos minutos, dilatando os vasos sanguíneos da região genital e facilitando o fluxo de sangue responsável pela ereção. O efeito conseguido através do Viagra costuma durar entre 4 a 6 horas.

O Viagra ofereceu uma verdadeira revolução no tratamento de disfunção erétil. O Sildenafil consegue isolar uma enzima presente no pênis, auxiliando no processo de relaxamento das artérias e propiciando maior fluxo de sangue no local, gerando ereção completa.

Uma das maiores vantagens oferecidas pelo Viagra é que o homem só tem ereção quando se sente sexualmente estimulado, ao contrário de determinados medicamentos, que provocam ereção imediata e incontrolável.

Seus efeitos começam pelo menos 30 minutos depois de administrado, permitindo uma ereção completa e de forma natural. Além disso, o Sildenafil tem um efeito positivo no período refratário, ou seja, no tempo exigido para que o homem consiga uma nova ereção depois da primeira relação e ejaculação.

Um estudo realizado com o Viagra em 2001, avaliando os efeitos do medicamento em homens que apresentam disfunção erétil, constatou que o Sildenafil, princípio ativo do medicamento, conseguiu reduzir em mais de 50% o tempo de período refratário, melhorando o desempenho sexual, aumentando a sensibilidade do órgão genital masculino e o tempo de ereção.

O Viagra é apresentado em comprimidos de cor azul, em formato de losango, em doses de 25, 50 e 100 mg.

Veja na tabela abaixo se o Viagra funciona para todos os homens:

Viagra funciona para todos os homens?

Embora o Viagra seja um medicamento bastante eficaz, existem alguns casos em que ele pode não oferecer seus efeitos.

Uma das razões mais comuns para que isso aconteça é que, de forma geral, os medicamentos precisam de estimulação sexual antes de qualquer relação sexual. O Viagra facilita a ereção, aumentando o fluxo de sangue para o pênis, mas ele não age como afrodisíaco e, portanto, quando um homem não está propenso ou não tem estimulação física, não irá responder com a ereção.

Outra razão para que o Viagra não funcione é o consumo de refeições ricas em gorduras antes ou concomitantemente com o medicamento. A gordura pode reduzir a absorção do princípio ativo no trato intestinal, impedindo a ação do Viagra.

Além disso, outras condições, como a ansiedade de manter uma relação sexual depois de um período prolongado de abstinência, o medo de efeitos colaterais ou problemas psicológicos e de comportamento, a exemplo de culpa ou preocupações sobre o envolvimento com determinado parceiro ou parceira, interfiram na capacidade de conseguir manter uma ereção.

Nesses casos, o paciente deve conversar com o seu médico e, se preciso, com a parceira ou parceiro, para ajudar a resolver o problema que leva ao fracasso no tratamento.

Para homens que tomaram o Viagra e apresentaram efeitos colaterais graves, que não podem usar o Viagra por interações medicamentosas com outros remédios que está utilizando ou que não obtiveram qualquer resultado, apesar do uso correto do medicamento, existem outras opções de tratamento.

Como escolher a dose de Viagra?

Como constatado nos estudos clínicos, a maior parte dos homens portadores de disfunção erétil pode fazer uso do Sildenafil até uma vez por dia sem qualquer contraindicação. As doses disponibilizadas do Viagra são de 25 mg, 50 mg e 100 mg.

A recomendação é que o homem comece pela dose intermediária para analisar a adequação do organismo ao medicamento antes de passar para a dose mais elevada, ou mesmo a necessidade de reduzi-la.

Assim, o médico pode prescrever a dose de 50 mg e aumentar no caso de não conseguir resultados satisfatórios, ou reduzir no caso de desenvolvimento de efeitos colaterais. Em alguns casos, é recomendado começar pela dose inicial de 25 mg, como, por exemplo, quando o homem apresenta problemas de insuficiência hepática ou renal.

Conheça as embalagens do Viagra em suas diferentes doses:

embalagens-doses-viagra

A dose de 25 mg do Viagra

A dose mínima de Viagra, de 25 mg, é recomendada para homens que sofrem casos moderados de disfunção erétil, para pacientes que fazem uso regular de medicamentos que apresentam interação medicamentosa com o citrato de Sildenafil e para pacientes com condições de saúde que podem ser potencializadas pelo princípio ativo.

A dose é ainda recomendada para pacientes que utilizam medicamentos do tipo bloqueadores alfa-adrenérgicos, pacientes que fazem uso de Ritonavir ou similares, pessoas com mais de 65 anos de idade, além de homens com problemas cardíacos, hepáticos ou renais.

É importante que homens portadores de problemas anteriormente mencionados não façam uso do Viagra em acompanhamento médico. Sob nenhuma hipótese esses pacientes devem aumentar a dose do medicamento por conta própria.

Os medicamentos descritos a seguir, se tomados em concomitância com o Viagra podem causar perigosa queda na pressão arterial:

  • Bloqueador alfa para tratamento de pressão arterial alta ou aumento da próstata;
  • Medicamentos para tratamento de AIDS.

Da mesma forma, o médico deve recomendar a dose mais baixa de Viagra se o homem apresentar baixa pressão sanguínea.

No caso de a menor dose do Viagra não surtir o efeito desejado, o paciente deve conversar com seu médico sobre a segurança de tomar uma dose mais alta.

A dose de 50 mg do Viagra

A dose de 50 mg de Viagra é recomenda para a maior parte dos pacientes sem condições pré-existentes ou qualquer outro problema de saúde que cause interferência.

De uma forma geral, essa dose é suficiente para atingir os efeitos desejados. No caso, porém, de os efeitos colaterais se apresentarem muito fortes, é recomendado reduzir a dose para o Viagra de 25 mg. Se o efeito for muito fraco, a dose pode ser alterada para 100 mg.

O homem com problema de disfunção erétil e fazendo uso do Viagra deve atentar para o fato de que a melhora da função erétil pode não ser imediata com a primeira dose. Nesse caso, não deve interromper o tratamento após a primeira tentativa, ou mesmo aumentar a dose, continuando a posologia para analisar se os efeitos podem ser obtidos.

Além disso, é preciso lembrar que o Viagra exige um período de pelo menos 24 horas entre um comprimido e outro.

O Viagra 50 mg pode ser tomado por qualquer pessoa com idade superior a 18 anos que não tenha qualquer condição médica que possa ser agravada pelos efeitos colaterais do princípio ativo.

O medicamento deve ser ingerido pelo menos uma hora antes de o homem manter relações sexuais, embora possa ser tomado com intervalo mais longo, mas nunca antes de meia hora antes da atividade sexual.

É importante que o homem, antes de tomar Viagra, converse com seu médico sobre seu histórico de saúde. Se sentir tonturas, dores no peito ou se manifestar qualquer situação adversa durante a relação sexual, deve procurar assistência médica imediata.

A dose de 100 mg do Viagra

A dose de 100 mg de Viagra é a dosagem máxima considerada segura para administração, apresentando o efeito máximo no organismo do paciente.

Dessa forma, a dosagem de 100 mg somente é recomenda em casos de disfunção erétil mais grave, e somente quando o paciente não apresenta qualquer situação de risco ou de contraindicações. A recomendação é que esta dosagem só seja aplicada em usuários sob acompanhamento médico.

O paciente que tiver a prescrição para o Viagra 100 mg, estando em condições mais graves de disfunção erétil, deve atentar para o fato de que pode não ter reações como desejado logo depois da primeira dose do medicamento e, por isso, não deve interromper o tratamento se não conseguir ereção suficiente logo na primeira tentativa.

Ao mesmo tempo, mesmo que seja a dosagem mais alta, o homem não terá automaticamente uma ereção depois de tomar o medicamento, lembrando que é preciso que seja excitado sexualmente para que o Viagra ofereça os efeitos desejados.

O Viagra, em quaisquer das doses apresentadas, deve ser tomado preferencialmente com o estômago vazio. Alimentos, principalmente os mais gordurosos, podem retardar o tempo que o princípio ativo leva para surtir efeitos.

Para fazer uso do Viagra 100 mg, o homem precisa estar completamente saudável, sem condições médicas subjacentes, já que os efeitos colaterais podem ser graves em determinadas condições de saúde.

Assim, por exemplo, o Sildenafil age pelo relaxamento dos vasos sanguíneos, aumentando o fluxo de sangue para o pênis, de forma que o homem pode ter um efeito adverso sobre a pressão sanguínea e o sistema cardiovascular.

Além disso, da mesma forma que em outras doses, determinados medicamentos podem causar efeitos perigosos em concomitância com o Viagra, incluindo:

  • Bloqueadores alfa, usados no tratamento de pressão arterial elevada ou aumento da próstata;
  • Medicamentos para quem sofreu ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral;
  • Medicamentos utilizados para tratamento de problemas renais ou hepáticos;
  • Medicamentos contendo nitratos.

No caso de efeitos colaterais se apresentando de forma mais grave com o Viagra 100 mg, o paciente deve conversar com seu médico para analisar a possibilidade de usar uma dose inferior.

A dose certa do Viagra e seus efeitos colaterais

O médico pode indicar doses diferentes de Viagra, dependendo de cada caso específico de disfunção erétil. Contudo, como já explicamos, a dose de 50 mg é a mais comum para a maioria dos homens portadores desse problema.

Tomar uma dose mais elevada de Viagra pode levar a alguns sintomas físicos indesejáveis, como, por exemplo:

  • Dor no peito;
  • Náusea;
  • Arritmia cardíaca;
  • Sensação de tontura ou desmaio.

Caso o homem tenha tomado uma dose elevada de Viagra, de forma acidental ou intencional, deve procurar atendimento médico imediato. Em caso de overdose grave, principalmente com perda de consciência, a assistência médica deve ser de urgência.

Não sendo devidamente tratada, a overdose de Viagra pode levar o homem a complicações com risco de morte.

Devemos lembrar que o Viagra é considerado um medicamento bem tolerado, mas, da mesma forma que outros medicamentos de prescrição, alguns efeitos colaterais podem se apresentar.

Segundo os estudos clínicos realizados com o princípio ativo Sildenafil, menos de 2% dos usuários sofreram efeitos colaterais durante o tratamento de disfunção erétil. Os principais efeitos relatados foram os seguintes, dependendo da dose tomada:

Incidência dos Efeitos Colaterais do Viagra em cada dose
Efeitos colaterais Viagra de 25 mg Viagra de 50 mg Viagra de 100 mg Placebo
Dor de cabeça 16% 21% 28% 7%
Afrontamentos 10% 19% 18% 2%
Indigestão 3% 9% 17% 2%
Distúrbios visuais 1% 2% 11% 1%
Congestão nasal 4% 4% 9% 2%
Dor nas costas 3% 4% 4% 2%
Dor muscular 2% 2% 4% 1%
Náusea 2% 3% 3% 1%
Vertigem 3% 4% 3% 2%
Erupção cutânea 1% 2% 3% 1%

A maior parte dos efeitos colaterais apresentados pelo Viagra se manifestam de forma ligeira a moderada, sendo de curta duração. Se o paciente sentir dores no peito, durante ou depois da relação sexual, é recomendado que permaneça sentado, deixando a respiração fluir normalmente.

No caso de algum sintoma se apresentar de forma mais grave, é necessário procurar ajuda médica imediatamente.

O paciente que estiver fazendo uso do Viagra deve saber ainda que o Sildenafil é uma substância que pode causar reações alérgicas. Portanto, se o usuário de Viagra tiver inchaço nas pálpebras, na face, nos lábios ou garganta, ou mesmo se tiver dificuldade de respirar ou tonturas, precisa consultar um médico, que poderá analisar sua condição física.

Em alguns pacientes, o Viagra pode provocar redução ou perda da visão e, em raros casos, manifestou-se o priapismo, um tipo de ereção prolongada, que causa graves dores no pênis e pode durar algumas horas. Havendo essa condição, é necessário procurar assistência médica com urgência.

Quantas doses de Viagra posso usar por dia?

A dose diária de Viagra deve ser de um comprimido por dia, mesmo que o médico tenha prescrito o Viagra 25 mg. Não é seguro o consumo de mais de um comprimido diário da prescrição determinada pelo profissional de saúde.

Em alguns casos de usuários que pertencem a grupos de risco, pode não ser indicado que se tome mais de um comprimido em 48 horas. Se este for o caso, o homem deve consultar um especialista.

Fontes:

Seleccione
Medicamento
Preencha o formulário
O médico emite a sua prescrição
Entrega expressa grátis