• Serviço privado e confidencial embalagem e pagamento discretos.
  • Medicamentos Originais como na sua farmácia local
  • Tudo incluído no preço consulta, entrega & receita médica
  • Entrega em 24 horas para pedidos feitos até às 16h30

Cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas

A cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas é uma combinação da instalação de uma pequena bolsa no estômago, restringindo a ingestão de maior quantidade de alimentos, e a implantação de uma banda ajustável no duodeno e outros segmentos do intestino delgado, gerando má absorção ou redução da capacidade de absorção de calorias e nutrientes.

O que é a cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas?

A cirurgia de bandas gástricas para emagrecimento, também conhecida por by-pass em Y de Roux, ou cirurgia de Fobi-Capella, combina a cirurgia bariátrica, que pode levar o paciente a uma perda de peso inicial, consistindo na redução do estômago e na alteração de partes do intestino, o que leva o paciente a ingerir menor quantidade de alimentos e, consequentemente, a perder peso ao longo do tempo.

banda-gastrica-ajustavel

O procedimento cirúrgico envolve o grampeamento do estômago, criando uma bolsa menor, que tem como objetivo estabelecer uma nova rota para o intestino. Como resultado da cirurgia de bandas gástricas ajustáveis, o paciente vai passar pelas seguintes situações:

  • Apresentar maior satisfação ao comer, ingerindo menos alimentos;
  • Absorver menos nutrientes da alimentação.

Existem dois tipos principais de procedimentos para a cirurgia de bandas gástricas ajustáveis, baseadas na redução do tamanho da bolsa estomacal, de forma que os alimentos sejam menos absorvidos pelo paciente:

  • Bypass gástrico Y de Roux, em que uma pequena bolsa do estômago é criada com o grampeamento de parte do próprio estômago, com a criação de uma faixa vertical. O procedimento tem como objetivo limitar a quantidade de alimentos ingeridos em cada refeição. A seguir, uma seção em forma de Y do intestino delgado é anexada à bolsa, fazendo com que os alimentos não passem pelo duodeno.
  • Desvio biliopancréatico bypass gástrico, uma versão mais complexa da cirurgia, em que porções do estômago são removidas e a bolsa remanescente permanece conectada diretamente ao segmento final do intestino delgado. Nesse tipo de procedimento, a maior parte do intestino delgado é ignorada, tendo como resultado a redução substancial de absorção de calorias e nutrientes.

Como funciona a cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas?

A cirurgia de bandas gástricas ajustáveis torna menor o estômago e faz com que o alimento passe diretamente para o intestino delgado, ignorando uma parte dele. Com esse tipo de cirurgia, o paciente se sentirá mais satisfeito de forma rápida, se comparado ao tempo em que tinha o estômago em seu tamanho normal. O fato de ignorar parte do intestino reduz a quantidade de alimentos em cada refeição e também os nutrientes absorvidos, levando a pessoa a perder peso rapidamente.

No processo normal de digestão, o alimento passa pelo estômago e, depois de digerido pelo suco gástrico, entra na câmara do intestino delgado, onde a maior parte dos nutrientes e calorias são absorvidos. A seguir, o intestino grosso faz sua parte, absorvendo o restante e eliminando o que não pode ser aproveitado, através do bolo fecal.

Através da câmara de baypass gástrico, o Roux em Y, apenas uma pequena parte do estômago é utilizada para criar a nova bolsa, que fica com o tamanho comparável ao de um ovo. O estômago, em seu tamanho menor, é conectado diretamente à parte do intestino delgado, o jejuno, ignorando o restante do estômago e a porção superior do intestino delgado, o duodeno.

O procedimento cirúrgico é realizado através de pequenas incisões, com instrumentos especiais e com uma câmera para orientação do cirurgião, a abordagem laparoscópica.

A cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas é adequada para o meu caso?

Quando uma pessoa tem o seu IMC – Índice de Massa Corporal superior a 40, a cirurgia de bandas gástricas ajustáveis possibilita alcança a perda de peso em longo prazo. A cirurgia também pode ser indicada para pessoas que possuem IMC acima de 35 e que sofrem com outros problemas médicos, como, por exemplo, hipertensão e diabetes tipo 2.

Com uma consulta médica, o paciente pode confirmar o seu índice de IMC e fazer uma avaliação mais detalhada, antes de o cirurgião decidir o tipo de cirurgia mais adequado para cada caso.

Ao considerar cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas

Quando o paciente leva em consideração a cirurgia de bandas gástricas para perder peso, deve ter uma cuidadosa orientação médica, tanto antes quanto depois da cirurgia, com um médico de sua confiança.

banda-gastrica-risco-beneficio

Contudo, é preciso ter em mente que uma cirurgia, por menor que seja, sempre é um processo invasivo, que oferece muitas surpresas, tanto boas quanto ruins. O paciente precisa considerar todos os pontos positivos e negativos de uma cirurgia de bandas gástricas ajustáveis, como podemos ver a seguir.

Fatores positivos sobre a cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas

Entre os fatores positivos de uma cirurgia de bandas gástricas ajustáveis, podemos mencionar:

  • Na incidência de diabetes tipo 2, a remissão da doença em longo prazo

Para pacientes obesos portadores de diabetes tipo 2, a cirurgia de bandas gástricas ajustáveis possibilita a remissão da doença em longo prazo. Os resultados constatados com outros pacientes obesos demonstram que o procedimento é totalmente eficaz, possibilitando que o paciente fique livre do uso de insulina e de outros medicamentos complementares para o diabetes tipo 2 no prazo médio de três anos após a cirurgia.

  • Melhora da saúde cardiovascular

A cirurgia de bandas gástricas ajustáveis possibilita a redução de riscos de doenças coronárias, de acidente vascular cerebral (AVC) e de doenças cardíacas periféricas. A pressão arterial e os níveis de colesterol retornam ao normal ou próximo ao normal logo após a cirurgia, reduzindo os riscos e melhorando o estado físico do paciente.

  • Eliminação das dores crônicas

Uma pessoa obesa coloca muito estresse em todas as articulações, que são obrigadas a suportar o peso do corpo, muitas vezes provocando dores crônicas, além de lesões nas articulações. A perda de peso, de forma significativa e sustentada, oferecida pela cirurgia, permite aliviar o estresse sobre as articulações, possibilitando que a pessoa deixe de usar medicamentos contra a dor, podendo também desfrutar de maior mobilidade.

  • Manutenção da fertilidade

O excesso de peso pode se tornar um fator impeditivo para a fertilidade. A cirurgia de bandas gástricas oferece mais condições de engravidar à mulher, depois da perda de peso excessiva.

Fatores negativos sobre a cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas

Como nem tudo são flores, a cirurgia de bandas gástricas também pode apresentar pontos negativos. Entre eles, podemos citar os seguintes:

  • Depressão pós-cirúrgica

A depressão está intrinsecamente ligada à obesidade, na maior parte dos casos e, enquanto uma grande parte de pacientes que passam pela cirurgia de bandas gástrica experimentam uma sensível melhora no seu bem-estar, algumas podem experimentar sensações de depressão mais graves, podendo, inclusive, precisar de ajuda psicológica.

Um estudo publicado no Obesity Journal, elaborado por pesquisadores da Universidade de Yale, constatou que 13% dos pacientes estudados relataram aumento da depressão, através de uma classificação numérica que mediu o comportamento do transtorno alimentar, a autoestima e o as interações sociais num período de 6 a 12 meses após a cirurgia de bandas gástricas.

  • Cirurgia plástica corretiva: um valor alto

A perda de peso depois da cirurgia de bandas gástricas pode ser gradual o suficiente para que o corpo e a pele do paciente possam se ajustar na mesma medida. No entanto, muitas pessoas ficam com excesso de pele, exigindo uma cirurgia plástica para eliminar as dobras e o acúmulo de pele. A menos que seja considerado necessário pelo médico, como no caso de excesso de pele caída provocando erupções cutâneas ou infeções, nenhum convênio médico aceita fazer cirurgias plásticas corretivas estéticas.

  • Síndrome de Dumping

Pelo menos 85% dos pacientes que se submetem à cirurgia de bandas gástricas ajustáveis podem sofrer ataques graves de diarreia, conhecidos como síndrome de dumping, em algum momento depois da cirurgia, segundo a Sociedade Americana de Cirurgia Metabólica e Bariátrica (ASMBS).

O problema é resultado das escolhas erradas de alimentos, o que pode incluir açúcar refinado, alimentos fritos ou gorduras e produtos lácteos. Os sintomas da síndrome de dumping podem ser de leves a graves, podendo incluir excesso de transpiração, rubor, tonturas, vontade de se deitar, náuseas, cólicas e zumbidos no ouvido.

  • Risco de aumento de consumo de bebidas alcóolicas

Pessoas que passaram pela cirurgia de bandas gástricas ajustáveis foram estudadas por pesquisadores da JAMA em períodos de 1, 3, 6 e 24 meses após a cirurgia, constatando-se que o risco de aumento de consumo de bebidas alcoólicas após o procedimento foi significativamente maior. Essa situação ocorre em razão dos pacientes terem níveis máximos de álcool no organismo, atingindo mais rapidamente esses níveis depois da cirurgia.

  • Necessidade de mudar o estilo de vida

Os médicos normalmente aconselham os pacientes a terem uma dieta adequada depois da cirurgia de bandas gástricas ajustáveis, ajudando a reduzir o peso. No entanto, essa não é a única alteração no estilo de vida que o paciente precisa fazer.

A recomendação da Obesity Action Coalition é que o paciente, depois da cirurgia, tenha até 60 minutos de exercícios físicos pelo menos 6 dias por semana, ajudando na perda de peso e aumentando sua resistência física.

Além disso, depois de passar pela cirurgia, o paciente precisa eliminar de sua dieta as bebidas carbonatadas, uma vez que elas levam gás para o sistema gastrointestinal, gerando pressão sobre o estômago e fazendo com que ele tenha contrações, o que pode desfazer os efeitos da cirurgia.

Preparando-se para uma cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas

Depois que o paciente é qualificado para a cirurgia de bandas gástricas ajustáveis ou qualquer outra cirurgia para perda de peso, a equipe médica deve fornecer as instruções para sua preparação para o tipo específico de cirurgia por que ele vai passar.

O paciente deve fazer uma série de exames laboratoriais antes da cirurgia, podendo ter restrições sobre a alimentação e a bebida, e tomar alguns medicamentos, além de, provavelmente, iniciar um programa de atividades físicas e, se for fumante, abandonar o uso do tabaco.

Além disso, o paciente também deverá fazer um planejamento para seu período de recuperação depois do procedimento cirúrgico.

O que acontece na cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas?

A cirurgia de bandas gástricas ajustáveis é feita em clínica credenciada ou hospital, devendo usar anestesia geral, o que significa que o paciente ficará inconsciente durante todo o procedimento.

As especificidades de cada cirurgia dependem da situação orgânica do paciente, do tipo de cirurgia a que será submetido e das práticas hospitalares e do médico responsável.

Alguns tipos de cirurgia para perda de peso podem ser feitos com incisões tradicionais, maiores, abrindo o abdômen, enquanto a maior parte delas, atualmente, é realizada através de laparoscopia, utilizando um gerador de imagens.

O laparoscópio é um instrumento de pequeno tamanho, tubular, com uma câmera anexada, que é inserido através de pequenas incisões no abdômen. A câmera permite que o cirurgião possa ver e fazer os procedimentos dentro do abdômen sem a necessidade de grandes incisões.

A cirurgia laparoscópica permite uma recuperação mais rápida do paciente, embora não seja adequada para todos os casos.

Normalmente, a cirurgia de bandas gástricas ajustáveis demora algumas horas. Depois do procedimento o paciente vai para a sala de recuperação, onde uma equipe médica deve monitorar suas condições, podendo identificar qualquer tipo de complicação. O paciente pode ficar no hospital entre 3 a 5 dias para recuperação.

Depois da cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas

A recuperação do paciente no pós-cirurgia depende do procedimento que tiver sido aplicado. O tempo médio de cada situação pode ser acompanhado a seguir:

banda-gastrica-antes-depois
  • Estadia média no hospital: de 2 a 3 dias, podendo variar de um hospital para outro;
  • Tempo médio de regresso ao trabalho: entre 3 dias a 2 semanas;
  • Tempo médio para recuperação total: entre 3 dias a 6 semanas;
  • Dores: podem variar de desconforto leve a uma dor gerenciável através de medicamentos;
  • Alimentação: pode variar de alguns alimentos limitados para uma transição lenta e rigorosa de líquidos claros para alimentos sólidos;
  • Atividade: variável, de 3 dias a 6 semanas.

Efeitos colaterais da cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas

Os efeitos colaterais da cirurgia de bandas gástricas ajustáveis mais comuns são a obstrução intestinal, a hemorragia do trato gastrointestinal e a estenose estomática.

Efeitos comuns Efeitos raros
Dores musculares Desidratação
A pele seca Úlcera no estômago
Mudanças de humor Hipoglicemia
Fadiga Úlceras hemorrágicas
Sentindo-se intolerância ao frio ou frio Hérnia local da incisão
A perda de cabelo e queda de cabelo Pedras nos rins
A deficiência de vitamina A Intolerância a certos tipos de alimentos

A probabilidade de desenvolver qualquer um desses efeitos colaterais, no entanto, é consideravelmente baixa, podendo acometer 10% dos pacientes. Os efeitos estão relacionados com a experiência do cirurgião, normalmente, o que significa que as cirurgias realizadas por médicos mais experientes e especializados são mais confiáveis, menos propensas a provocar efeitos colaterais.

Possíveis efeitos secundários da cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas

Complicações de longo prazo decorrentes de uma cirurgia de bandas gástricas ajustáveis podem ocorrer em 15% dos pacientes.

Tudo depende do tipo de cirurgia realizada, embora os principais efeitos colaterais possam incluir obstrução intestinal, síndrome de dumping (resultado em diarreia, náuseas e vômitos), desenvolvimento de cálculos biliares ou hérnias, baixos níveis de açúcar no sangue (hipoglicemia), desnutrição (quando o paciente não faz uso de vitaminas e minerais suplementares, apresentando deficiência de ferro ou cálcio), perfuração estomacal, úlceras, vômitos e falhas de grampos na bolsa.

Numa listagem simplificada, os principais efeitos colaterais são os seguintes, lembrando o fato de que acometem apenas uma pequena parte de pacientes:

  • Síndrome de despejo
  • Desidratação
  • Problemas dentários
  • Dificuldade de deglutição
  • Cálculos biliares
  • Pedras nos rins
  • Perda de cabelo
  • Indigestão (dispepsia)
  • Intolerância a certos alimentos

O paciente, depois da cirurgia, também pode não perder peso suficiente, situação que pode estar relacionada às alterações na dieta e nos hábitos de exercícios físicos. O primeiro passo para evitar os possíveis efeitos colaterais de uma cirurgia de bandas gástricas ajustáveis deve ser tomado antes mesmo da cirurgia.

O paciente deve discutir com seu médico o tipo mais adequado de cirurgia para o seu caso, dependendo de suas características físicas e de suas necessidades. Também igualmente importante é que o paciente siga estrita e rigorosamente as recomendações médicas sobre medicamentos, suplementos, dieta e atividades físicas.

Caso ocorra qualquer tipo de complicação, o paciente poderá precisar de cirurgias adicionais para corrigir o problema.

Complicações da cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas

Podem ocorrer algumas complicações associadas à cirurgia de bandas gástricas ajustáveis, incluindo vazamentos de anastomose, embolia pulmonar, alergia aos medicamentos utilizados na anestesia, coágulos sanguíneos, infecções e problemas pulmonares ou respiratórios.

Casos fatais em cirurgias de perda de peso são extremamente raros, embora também possam ocorrer. Além disso, a cirurgia aberta apresenta mais riscos em razão de incisões maiores, como hérnia incisional, lesão orgânica durante a cirurgia ou infecção da ferida.

Quais são as alternativas para uma cirurgia de bandas gástricas ajustáveis laparoscópicas?

Havendo tantas causas para a obesidade, a perda de peso em longo prazo é extremamente complicada para o paciente. A maior parte das pessoas obesas acaba tentando um sem número de dietas ou de programas de exercícios, havendo muito pouco sucesso.

Manter o peso, geralmente, é um desafio ainda maior. Mesmo quando a perda de peso em curto prazo é alcançada, a maior parte das pessoas recupera o que perdeu em muito pouco tempo.

Entre os tratamentos não cirúrgicos para a perda de peso moderada e em longo prazo, podemos destacar:

Intervenção de estilo de vida

O processo mais comum para tratar a obesidade e perder peso é a intervenção no estilo de vida. Essa intervenção inclui mudanças na alimentação e na prática de exercícios físicos, basicamente. Embora a perda de peso moderada possa ser alcançada apenas com uma alimentação adequada e equilibrada, é necessário sair da vida sedentária, garantindo melhores resultados em longo prazo.

Farmacoterapia e medicação com perda de peso

Medicamentos desenvolvidos para perda de peso, aprovados pelos órgãos de fiscalização, como, por exemplo, o Xenical, podem ajudar o paciente a conseguir uma perda de peso entre 5 a 10% no prazo de um ano, mantendo esses resultados em longo prazo.

Embora eficaz, esse tipo de medicamento deve ser de uso continuado, podendo ocorrer uma recuperação rápida do peso, se houve interrupção no tratamento. Além disso, o paciente também deve adotar uma dieta equilibrada e uma rotina de exercícios para conseguir bons resultados.

Fontes:

O que há nesta página?
Aprenda mais sobre perda de peso
Seleccione
Medicamento
Preencha o formulário
O médico emite a sua prescrição
Entrega em 24h