Falar no Chat (+351) 308 804 997
(+55) 11 49 33 77 11
Equipa de suporte ao paciente: Seg. à Sex. das 09h às 18h
  • Serviço privado e confidencial Embalagem discreta e pagamento confidencial
  • Apenas medicamentos originais Medicamentos enviados da nossa farmácia registada no Reino Unido
  • Tudo incluído no preçoConsulta médica, prescrição e entrega em 24h
  • Entrega em 24 horas

Gota

Pé com gota

A gota é um tipo de artrite dolorosa e incapacitante que se caracteriza pelo aparecimento de cristais de ácido úrico dentro e em torno das articulações. É frequente esta condição causar ataques de dor e inchaço em uma ou mais articulações.

Embora diferente de outros tipos de artrite, como a artrite reumatóide e a osteoartrite, a dor associada a um ataque de gota pode ser severa. O ácido úrico, responsável pela formação dos cristais característicos da gota é um químico presente no corpo normalmente inofensivo. Este é eliminado pela urina e pelas fezes. Porém, nas pessoas com quantidades de ácido úrico elevadas no sangue, pode ocorrer a formação de cristais que inflamam os tecidos das articulações e causam dor.

A gota afecta 1 em cada 200 adultos, sendo os homens mais afectados que as mulheres, uma vez que a hormona feminina estrogénio aumenta a excreção de ácido úrico pelos rins. Tem tendência familiar e desenvolve-se frequentemente na meia-idade, apesar de também poder ocorrer em pessoas mais jovens.

Contudo, apesar de algumas pessoas apresentarem níveis elevados de ácido úrico, não formam cristais ou sofrem de gota, bem como, embora raramente, pessoas com níveis normais de ácido úrico possam sofrer ataques de gota. No entanto, regra geral, quanto mais elevados os níveis de ácido úrico no sangue, maiores as hipóteses de sofrer de gota.

Da mesma forma, níveis elevados de ácido úrico não são apenas responsáveis pelo desenvolvimento de gota, contribuindo para problemas como a hipertensão arterial e a síndrome metabólica.


Quais as causas da gota?

O ácido úrico é um produto metabólico com fraca solubilidade nos fluidos do corpo, cujos níveis devem ser mantidos normais devido ao seu poder antioxidante. O limite desta substância no sangue é de 8,6 mg/dl nos homens e 7,1mg/dl nas mulheres. A hiperuricémia leva à formação de cristais em forma de agulha nas cartilagens e nos tecidos fibrosos. Os cristais formados podem voltar a dissolver-se nos fluidos corporais ou acumular-se nas articulações e desencadear uma resposta inflamatória local.

Como a gota está directamente relacionada com os níveis elevados de ácido úrico no sangue, é importante saber quais as causas que contribuem para a hiperuricémia. Na maioria das pessoas com gota, os rins não conseguem excretar ácido úrico suficiente, porém os níveis de ácido úrico elevados também podem dever-se a:

  • Consumo excessivo de álcool
  • Baixos níveis de vitamina C
  • Consumo de bebidas ricas em frutose
  • Dieta rica em purinas (presentes em alimentos como as sardinhas e o fígado)
  • Medicamentos como diuréticos, aspirina ou medicamentos destinados a quimioterapia
  • Condições subjacentes como psoríase, obesidade, tensão arterial elevada, problemas renais, diabetes, problemas vasculares e deficiência de enzimas como a HGPRT e G6PD

Quais são os sintomas da gota?

Articulação inflamada

O principal sintoma da gota são os seus ataques dolorosos cuja duração pode ser de algumas horas ou durar alguns dias, caso não seja administrado tratamento. A dor centra-se geralmente numa das articulações, sendo comum ocorrer na base do dedo grande do pé, tornando a locomoção muito dolorosa. Por vezes podem ser afectadas duas ou mais articulações, sendo acompanhadas por vermelhidão e inchaço.

Nalguns casos, os cristais de ácido úrico formam protuberâncias na pele que apesar de não dolorosas, se podem tornar incómodas ao aparecer em locais como a ponta dos dedos. Raramente, estas protuberâncias podem infectar.

Apesar de a dor ser a principal consequência de um ataque de gota, ataques recorrentes podem provocar danos nas articulações. A formação de cristais pode também contribuir para a formação de cálculos renais e consequentemente danificar os rins.

Como é feito o diagnóstico?

A gota é diagnosticada através de exames ao sangue que detectem níveis elevados de ácido úrico responsáveis por sintomas como a dor e o inchaço nas articulações. O diagnóstico de gota pode ser confirmado por uma amostra de liquido retirada das articulações inflamadas, se este revelar a presença de cristais de ácido úrico.

Como é feito o tratamento da gota?

Tente colocar o membro com a articulação inflamada numa posição mais elevada para reduzir o inchaço. A aplicação de gelo e o uso de anti-inflamatórios reduz a inflamação, bem como o uso de analgésicos pode ajudar a reduzir a dor dos ataques de gota entre 12 a 24 horas. Os anti-inflamatórios frequentemente prescritos incluem diclofenac, indometacina e naproxeno.

Após a melhoria dos sintomas do ataque de gota, recomenda-se a adopção de alterações ao estilo de vida que permitem reduzir os níveis de ácido úrico. Estas alterações incluem, por exemplo, perder peso no caso de sofrer de obesidade, reduzir o consumo de alimentos risco em purinas, moderar o consumo de álcool e de bebidas açucaradas, bem como monitorizar os seus níveis de tensão arterial.

As alterações ao estilo de vida mencionadas acima são normalmente suficientes para reduzir os níveis de ácido úrico e limitar a ocorrência de ataques. Contudo, no caso de ataques de gota frequentes, pode ser recomendado o tratamento com alopurinol para a sua prevenção. Ao contrário dos anti-inflamatórios usados durante o ataque de gota, o alopurinol não reduz a inflamação ou a dor. Este apenas reduz os níveis de ácido úrico no sangue, levando 2 a 3 meses a tornar-se eficaz. Durante o tratamento com alopurinol devem ser monitorizados os níveis de ácido úrico no sangue para avaliar a sua eficácia.

Seleccione
Medicamento
Preencha o formulário
O médico emite a sua prescrição
Entrega em 24h