Falar no Chat (+351) 308 804 997
(+55) 11 49 33 77 11
Equipa de suporte ao paciente: Seg. à Sex. das 09h às 18h
  • Serviço privado e confidencial Embalagem discreta e pagamento confidencial
  • Apenas medicamentos originais Medicamentos enviados da nossa farmácia registada no Reino Unido
  • Tudo incluído no preçoConsulta médica, prescrição e entrega em 24h
  • Entrega em 24 horas

Corrimento Vaginal

O corrimento vaginal faz parte da fisiologia normal da vagina, sendo que a vagina para se manter saudável e funcionar adequadamente, deve estar sempre bem lubrificada.

Embora a quantidade de corrimento vaginal possa variar de mulher para mulher, especialmente de acordo com a fase do ciclo menstrual, nalgumas situações, pode ocorrer um corrimento vaginal anormal.

Ser capaz de distinguir o corrimento vaginal normal do anormal é muito importante, uma vez que este pode ser frequentemente um sinal de infecção vaginal ou de uma doença sexualmente transmissível.

 

Corrimento vaginal anormal

Os sintomas que sugerem estar na presença de um corrimento vaginal anormal são uma maior abundância, o corrimento ser mais denso que o normal, libertar mau cheiro, ser espesso, branco "tipo queijo", acinzentado, esverdeado, amarelado, com sangue, comichão, vermelhidão, ardor, dor, úlceras ou feridas na região genital, dor abdominal e desconforto durante as relações sexuais.

Tipo de corrimento Possíveis causas e Tratamento
Corrimento ligeiro, castanho e com sangue Pode ocorrer durante a ovulação e nas primeiras fases da gravidez. Se experienciar estas perdas e tiver tido relações sexuais desprotegidas, deve fazer um teste de gravidez.
Líquido, com odor e abundante sem dor ou ardor
Vaginose bacteriana
Dalacin
Metronidazol
Branco e denso, com textura de "queijo",
sem cheiro e acompanhado de comichão e dor
Ocasionalmente ocorre dor durante as
relações sexuais e ao urinar
Candidíase Vaginal
Gyno-Pevaryl
Diflucan
Daktarin
Líquido, com odor e abundante sem dor ou ardor
Clamídia
Azitromicina
Doxiciclina
Amarelo com mau-cheiro, espumoso e muitas vezes abundante, associado a comichão e dor vaginal
Dor durante as micções e relações sexuais, dor abdominal
Tricomoníase
Metronidazol
Semelhante a pus, com mau cheiro
Gonorreia
Pack Gonorreia
Corrimento com mau odor e sangue
Presença de um corpo estranho na vagina, como por exemplo um tampão
Corrimento muito abundante acompanhado de sangue intermenstrual
Possível presença de pólipos cervicais ou ectopias


Corrimento vaginal normal

O corrimento vaginal normal é branco, transparente, viscoso, sem cheiro ou com cheiro não desagradável e não está associado a comichão ou irritação. O corrimento vaginal pode desempenhar um papel preponderante no mecanismo de defesa do sistema genital feminino, livrando-se das células mortas e das bactérias e permitindo que o ecossistema microbiano e o pH vaginal permaneçam adequados. Este facto impede a propagação de infecções e assegura a saúde vaginal.

A quantidade e consistência do corrimento vaginal variam de mulher para mulher e de acordo com as fases do ciclo menstrual feminino. O corrimento vaginal normalmente aumenta durante a gravidez e é mais abundante em mulheres que usam a pílula contraceptiva.

Tipo de corrimento Possíveis causas
Liquido e pegajoso Indica a ovulação
Transparente e aquoso Normal em várias fases do ciclo menstrual, pode ser mais abundante após o exercício físico
Branco e denso, sem comichão Normal após a menstruação
Castanho Após a menstruação, é a limpeza final da vagina
Corrimento mais abundante que o habitual Normal durante a gravidez ou quando se tomam contraceptivos hormonais

O que fazer?

Para qualquer problema vaginal, a primeira coisa a fazer é evitar o uso de substâncias que possam piorar a irritação, tais como o gel de banho, os perfumes e outros produtos de limpeza fortes. Durante a menstruação deve mudar frequentemente o penso absorvente (pelo menos 2-3 vezes ao dia) e não usar absorventes internos como os tampões se não estiver com a menstruação.

Fale com o seu parceiro sobre o assunto: pergunte-lhe se tem sofrido algum corrimento pela uretra (orifício na ponta do pénis) ou irritação no pénis. Não faça sexo até que o problema esteja resolvido.

Caso se trate de uma DST (doença sexualmente transmissível), recomenda-se que procure ajuda médica e siga o tratamento recomendado. O tratamento é importante, não só para eliminar os sintomas, bem como para evitar complicações futuras, que na mulher se podem traduzir em problemas de infertilidade, gravidez ectópica e aborto.

Seleccione
Medicamento
Preencha o formulário
O médico emite a sua prescrição
Entrega em 24h