Falar no Chat (+351) 308 804 997
(+55) 11 49 33 77 11
Equipa de suporte ao paciente: Seg. à Sex. das 09h às 18h
  • Serviço privado e confidencial Embalagem discreta e pagamento confidencial
  • Apenas medicamentos originais Medicamentos enviados da nossa farmácia registada no Reino Unido
  • Tudo incluído no preçoConsulta médica, prescrição e entrega em 24h
  • Entrega em 24 horas

Impotência

homem de 40 anos

A impotência também conhecida como disfunção eréctil (DE), é um dos principais inimigos do sexo masculino e um problema de saúde que afecta 1 em cada 10 homens ao longo da sua vida. O seu bem-estar e autoconfiança podem ser afectados por esta condição, o que tem consequências tanto na sua vida sexual como na da sua parceira. Esta doença caracteriza-se pela incapacidade de obter ou manter uma erecção, de forma a ter uma relação sexual satisfatória.

Geralmente, não é um problema a longo prazo, mas pode afectar homens de todas as idades. Apesar de os homens com mais de 40 anos serem os mais propensos, os homens entre os 20 e os 30 anos também podem sofrer de impotência, devido a vários factores.

Actualmente estão disponíveis várias hipóteses de tratamento para a impotência, entre as quais os medicamentos de prescrição como os comprimidos azuis de Viagra, o Cialis tadalafil com efeitos de 36 horas e o Levitra fabricado pelos laboratórios da Bayer, que se adequam individualmente a cada homem e estilo de vida. As principais diferenças entre estes medicamentos residem nas doses disponíveis, no tempo de acção e na duração do efeito.

O que é a impotência ou falta de erecção?

De forma simples, pode definir-se impotência como a incapacidade de conseguir ou manter uma erecção de forma a realizar uma relação sexual satisfatória. O que significa que quando está excitado, não consegue ter uma erecção ou mantê-la antes ou depois da penetração.

Como se desenvolve a impotência sexual

Obter uma erecção é um processo corporal complicado, motivo pelo qual é tão fácil ocorrer uma disfunção e desenvolver-se a impotência. No seu pénis existem duas câmaras que se denominam corpos cavernosos. Quando está excitado, mais sangue alcança o seu pénis, o que causa a expansão das paredes dos corpos cavernosos. À medida que estes se preenchem, o seu pénis fica erecto.

A falta de erecção é causada por dois elementos naturais do corpo, o cGMP e a PDE-5. O cGMP é um nucleótido que leva as paredes dos corpos cavernosos a relaxarem e a se acomodarem ao aumento do fluxo sanguíneo. A PDE-5, por sua vez, é a enzima responsável pela quebra do cGMP. Se ocorrer um desequilíbrio na produção de um destes elementos, podem ocorrer problemas de erecção e são aconselhados tratamentos contra a impotência, cuja função é inibir a enzima PDE-5, de forma a promover um melhor fluxo sanguíneo no seu pénis.

Causas da impotência

A impotência pode ser causada por problemas físicos e psicológicos, pelo que saber a sua causa é fundamental para um tratamento eficaz. As causas psicológicas tendem a ser menos prolongadas, enquanto que as causas físicas tendem a relacionar-se com problemas de saúde mais graves.

Causas físicas

A erecção é determinada pelo funcionamento adequado do sistema nervoso, sistema circulatório, sistema endócrino e genital. Quando um destes sistemas começa a ter problemas de funcionamento, não é incomum gerar-se um problema de disfunção eréctil.

Pode saber se a causa dos seus problemas de impotência é física, quando não consegue atingir uma erecção quando se masturba ou quando sofre estimulação sexual manual, oral ou visual.

Por vezes, a impotência pode ocorrer devido a uma anormalidade do pénis, tal como a doença de Peyronie, uma doença que afecta os tecidos do pénis ou a hipospadia, um desenvolvimento anormal da uretra.

Existem cada vez mais homens a submeterem-se à cirurgia do cancro da próstata, devido ao aumento da prevalência desta condição. A prostatectomia radical, a radioterapia pélvica ou a cistectomia, podem conduzir a danos sérios nas estruturas nervosas e vasculares do pénis e em 50% dos casos levam à impotência.

Algumas das causas físicas mais comuns são:

  • Diabetes
  • Fumar
  • Alcoolismo
  • Excesso de peso
  • Medicamentos
  • Deterioração das artérias
  • Lesões cerebrais ou espinais
  • Cirurgia abdominal ou à próstata
  • Disfunção endócrina
  • Deterioração do sistema nervoso

Causas psicológicas

A impotência também pode ter causas psicológicas em homens que vivem o sexo de forma problemática, como por exemplo viver no seio de uma família sexualmente repressiva ou caso tenham sofrido abusos sexuais.

Da mesma forma, a impotência pode ser causada por uma sensação geral de inadequação, por um sentimento de insatisfação, pelo tamanho do pénis, pela aparência ou pela rejeição do par.

Outras causas de impotência são a falta de confiança e atracção mútua e íntima com a sua parceira. O conflito, a distância emocional, a insatisfação com a parceira, o facto de não ser capaz de falar abertamente sobre o problema ou disfunção e o medo do abandono podem abalar a relação, impedindo que seja baseada na confiança e dificultando a erecção.

Este tipo de problemas psicológicos, sem que o homem esteja consciente disso, podem resultar em um ou mais episódios de impotência ou no surgimento de um perigoso ciclo vicioso, em que a actividade sexual é precedida de uma grande ansiedade e constrangimento, podendo o homem negar-se a ter sexo.

Entre as causas psicológicas mais comuns encontram-se:

  • Sentimentos de culpa
  • Depressão
  • Ansiedade
  • Stress
  • Exaustão
  • Conflitos com a parceira
  • Orientação sexual não definida
  • Aborrecimento sexual

Os problemas de impotência podem ser um sinal de um problema de saúde grave. Consulte o seu médico para saber as causas do seu problema.

Medicamentos e impotência

Em cerca de 25% dos casos, a impotência é causada pela utilização de certos fármacos, como por exemplo, anti-hipertensivos, que baixam a tensão arterial e como resultado levam à disfunção. Os medicamentos hormonais ou as drogas psicotrópicas também podem ser muitas vezes causas de impotência.

Nos medicamentos mais comuns que influenciam a capacidade de erecção, incluem-se: antipsicóticos, corticoesteróides, medicamentos usados para tratar úlceras gástricas, anticonvulsivantes, anti-histamínicos, medicamentos utilizados em quimioterapia e anticonvulsivantes.

Impotência e condições psicológicas

Impotência e stress

Ainda que desconhecido por muitos, o stress diário pode afectar gravemente a capacidade de obter uma erecção e dar ou receber prazer sexual durante as relações. O stress intensifica a produção de adrenalina e noradrenalina, duas hormonas conhecidas por terem propriedades inibidoras da erecção. Para além disto, o stress faz diminuir os níveis de óxido nítrico, um relaxante muscular.

Quando existe stress, os impulsos nervosos contraem os vasos sanguíneos e os músculos da zona do pénis, dificultando a entrada do fluxo de sangue. Se não chegar ao pénis a quantidade suficiente de sangue durante a estimulação sexual, o homem vê impossível a obtenção de uma erecção.

Os sentimentos de culpa, o ressentimento, a falta de confiança e a depressão são alguns dos efeitos emocionais do stress que contribuem para uma libido mais baixa. Quando aparecem este tipo de sentimentos, é mais difícil sentir-se motivado para ter sexo.

Milhões de homens relatam que a ansiedade sobre a sua prestação sexual é o que leva ao seu problema de confiança sexual. O medo inicial da relação sexual pode impedir o homem emocionalmente de ter uma erecção, cada vez que tem uma relação sexual. A sua preocupação sobre a prestação sexual não permite que relaxe, tornando-se um ciclo vicioso.

Impotência e depressão

A depressão é considerada um inibidor de erecções mais fortes, uma vez que pode ser tanto a causa como a consequência para obter a erecção. Não há dúvida de que certos níveis de stress circunstancial podem ter influência a nível pessoal, porém, estes podem chegar mesmo a causar insónias, taquicardia e problemas de comportamento. Quando a impotência ocorre devido ao stress, é fácil cair em depressão, porém há que combater os pensamentos negativos já que estes interferem com o novo processo de erecção.

Impotência e condições físicas

Impotência e diabetes

Entre 35% a 75% dos homens com diabetes sofrem de pelo menos um certo grau de impotência durante as suas vidas.

A impotência nos homens diabéticos pode aparecer entre 10 a 15 anos mais cedo do que nos homens com níveis de açúcar no sangue normais. Este problema torna-se mais severo com a idade, levando a que 50-60% dos homens com diabetes sejam impotentes. Aos 70 anos de idade estima-se que 95% dos homens diabéticos experienciem problemas de erecção com regularidade.

O corpo humano consiste numa conexão de sistemas complexos que depende dos nervos, do sangue e das funções musculares. Para que se produza uma erecção é necessário que tanto os vasos sanguíneos, como os nervos e hormonas masculinas funcionem de maneira saudável e respondam à estimulação. Devido à presença da diabetes, é normal que alguns destes sistemas deixem de funcionar correctamente, levando em muitos casos ao dano dos vasos sanguíneos e dos nervos que controlam a erecção. Mesmo os homens que têm um bom nível hormonal e são capazes de estimular-se sexualmente, podem não ser capazes de atingir uma erecção firme para penetração sexual.

Impotência e colesterol

A primeira manifestação do colesterol elevado na maioria dos homens são os problemas de erecção, tendo estes dificuldades em manter ou atingir uma erecção firme e duradoura. O colesterol elevado pode depositar-se e bloquear as artérias, impedindo que o fluxo sanguíneo chegue ao pénis, podendo também causar danos nervosos, o que leva à disfunção eréctil. A impotência motivada pelo colesterol afecta homens de todas as idades e deve ser tratada imediatamente.

A disfunção eréctil pode levar a muitos mais problemas do que aqueles experienciados na vida íntima. É uma causa directa de problemas psicológicos como falta de motivação, negação e baixa autoestima que podem levar à depressão, caso não seja tratada.

Impotência e hipertensão

Vários estudos têm demonstrado que a impotência é mais comum e mais grave nos homens com hipertensão. Por exemplo, enquanto que 30% dos homens experiencia problemas de erecção uma vez por mês, este número aumenta para 70% em homens hipertensos.

Para ter uma erecção, tem de fluir sangue para o pénis para permitir que este se torne firme e erecto. Quando se tem hipertensão arterial, os vasos sanguíneos ficam danificados e tornam mais difícil a chegada do sangue ao resto do corpo, incluindo ao pénis. Se não conseguir chegar sangue suficiente ao pénis, o homem não consegue obter nem manter a erecção.

Tratamento para a impotência

A impotência é uma condição muito frequente, pelo que a deve discutir com o seu médico e parceira. Muitos homens sentem vergonha em discutir este assunto pessoalmente com um médico, pelo que nestes casos pode estar recomendada uma consulta online para avaliação da sua condição.

Se o seu problema tiver uma causa psicológica, pode ser recomendada terapia com um especialista. Se por outro lado a causa for física, poderá ter de realizar alterações ao seu estilo de vida de forma a melhorar a sua saúde em geral.

Caso lhe seja recomendado tratamento médico, tenha em conta que os comprimidos para a impotência são o tratamento mais prescrito aos homens que sofrem desta condição. Estes são recomendados para tratamento a longo e a curto prazo, tendo poucos efeitos secundários por a sua acção apenas se centrar na inibição da enzima PDE-5, permitindo que mais sangue flua para o pénis e facilitando a erecção.

Seleccione
Medicamento
Preencha o formulário
O médico emite a sua prescrição
Entrega em 24h