• Serviço privado e confidencial embalagem e pagamento discretos.
  • Medicamentos Originais como na sua farmácia local
  • Tudo incluído no preço consulta, entrega & receita médica
  • Entrega em 24 horas para pedidos feitos até às 16h30

Causas e efeitos psicológicos da disfunção erétil

A disfunção erétil, ou impotência sexual, não é apenas prejudicial ao homem, afetando também toda a sua vida amorosa e, muitas vezes, atingindo seu lado psicossocial, ou seja, pode leva-lo a ter medo de ter um novo relacionamento, de falar sobre suas dificuldades com amigos e, além disso, de acabar por leva-lo a alguma reputação negativa diante de um problema que pode ser oriundo de condições orgânicas ou psicológicas.

Vamos conversar neste artigo sobre os principais efeitos psicológicos da impotência sexual ou disfunção erétil, que podem ser observados na vida de um homem e como ele pode reverter essa situação.

O que é disfunção erétil?

A disfunção erétil pode ser definida como a falta de capacidade apresentada por um homem em conseguir e manter a ereção suficiente para uma relação sexual satisfatória. A condição pode ter diversas causas e tudo deve ser analisado antes de o homem se submeter a qualquer tipo de tratamento.

Nesse caso, também é importante ressaltar que uma eventual disfunção erétil não deve ser considerada como motivo de preocupação. Contudo, quando ela se torna recorrente, a situação pode ser a responsável por uma série de problemas psicológicos, como baixa autoestima e estresse, além de prejudicar seriamente o relacionamento entre um casal e dificultar a intimidade sexual.

Também é importante saber que a disfunção erétil é um problema que pode atingir o homem em qualquer faixa etária, não sendo incomum, atualmente, que até mesmo homens mais jovens apresentem o problema.

Quais são as causas da disfunção erétil?

Precisamos ainda entender que a disfunção erétil, em si, não deve ser considerada como doença, e sim, como dificuldades em manter a ereção como sintomas de outros problemas, que tanto podem ser físicos quanto emocionais.

O homem deve entender que a excitação sexual e a consequente ereção são resultado de um processo bastante complexo, envolvendo o cérebro, suas próprias emoções, os hormônios, os músculos e os vasos sanguíneos.

Assim o homem pode apresentar uma disfunção erétil de causas psicológicas, que podem ser resultados de problemas emocionais, como, por exemplo:

  • Ansiedade,
  • Depressão e

Quando a disfunção erétil é decorrente de algum problema físico ou orgânico, as causas podem ser:

É importante que o homem procure ajuda médica se apresentar qualquer problema de disfunção erétil, uma vez que essa condição poderá provocar uma série de complicações em sua vida íntima e social.

Quais são os sintomas da disfunção erétil?

Um dos sintomas mais comuns da disfunção erétil é a dificuldade apresentada pelo homem, ou mesmo sua impossibilidade de manter a ereção para conseguir uma relação sexual completa.

Quando se trata de um episódio esporádico, não há motivo algum para preocupações. No entanto, quando em pelo menos uma em quatro vezes o homem tiver problemas ao tentar conseguir a ereção, é muito provável que esteja sofrendo com disfunção erétil.

Contudo, somente um profissional médico especializado poderá diagnosticar o problema com absoluta certeza. Na maior parte dos casos, os médicos podem fazer uma série de questionamento sobre a vida sexual do paciente, como, os destacados na tabela abaixo:

Diagnóstico dos Sintomas da Disfunção Erétil
  • O que pode estar provocando os problemas de ereção;
  • Que sintomas o paciente apresenta, se são crônicos ou somente temporários;
  • Se o paciente já teve ereções anteriormente e se foram suficientes para uma perfeita relação sexual;
  • Se o paciente já perdeu a ereção durante o ato sexual e se conseguiu fazer com que voltasse
  • Se o paciente costuma acordar com ereção;
  • No caso de o paciente ser tabagista, quantos cigarros fuma por dia e há quanto tempo;
  • No caso de o paciente ter o hábito de beber álcool, quantas vezes o faz por semana e que tipo de bebida gosta mais;
  • Finalmente, o médico deve saber se o paciente faz uso de algum tipo de droga.

Depois de fazer todo o questionamento, o médico deve fazer um exame físico no paciente, constatando se ele apresenta ou não impotência sexual. Nesse caso, é preciso destacar que as causas podem ser físicas ou emocionais e, portanto, o paciente deve agir com sinceridade com o médico para que tenha um diagnóstico preciso.

Que distúrbios psicológicos podem levar à disfunção erétil?

Quando não devidamente tratada, a disfunção erétil pode provocar uma série de distúrbios psicológicos, prejudicando a qualidade de vida do portador nas esferas pessoal, social e de relacionamento. Entre os principais efeitos psicológicos negativos, podemos destacar:

  • Sensação de impotência

Como todos sabemos, a ideia de virilidade, vista sempre com bons olhos pelo público masculino, pode ser confundida com a ideia de potencialidade. Nessas situações, em vez de entender que se trata de um problema que deve ser tratado através de procedimentos médicos, muitos homens passam a analisar como uma questão generalista de inferioridade ou de fracasso.

Por isso, uma condição comum entre homens portadores de disfunção erétil se considerarem como perdedores, não podendo satisfazer nem uma mulher.

  • Sensação de culpa

As dificuldades que impedem a completa satisfação sexual podem provocar conflitos, cobranças ou mesmo ataques desqualificando o parceiro. Essa condição, além de provocar agravamento no quadro, favorece os sentimentos de culpa e de instabilidade emocional no parceiro masculino.

  • Depressão e ansiedade

Os episódios de depressão e até mesmo um diagnóstico sobre a doença podem ser vistos em grande número de portadores de disfunção erétil, uma vez que o paciente passa a trabalhar com um desejo sempre irrealizável, ou seja, sua própria incapacidade em conseguir ereção. Essa realidade vai favorecer o sentimento de profunda tristeza, de angústia, de baixa autoestima e de impotência.

A disfunção erétil é uma condição masculina que pode ser tratada e curada a partir de tratamento especializado e individualizado. Pelo menos 90% dos casos de disfunção são bem-sucedidos, desde que envolvendo o apoio de uma equipe multidisciplinar, composta por um médico urologista, um andrologista e um psicólogo, além de o paciente também aplicar alterações no seu estilo de vida.

A depressão na disfunção erétil

Problemas como a depressão podem fazer com que o homem tenha menos interesse pelo sexo, da mesma forma que com outras atividades de seu dia a dia.

A depressão pode ser facilmente diagnostica em razão da tristeza com que uma pessoa com o problema se apresenta, pelo seu sentimento de incapacidade e ainda pelo pessimismo constante, ou seja, o homem imagina que nada vai dar certo, principalmente em seus relacionamentos.

A ansiedade na disfunção erétil

Outro fator que pode contribuir para que o homem tenha disfunção erétil é a ansiedade, que, em diversos casos, pode acabar influenciando a forma como o homem encara o sexo e como consegue ereção.

Na fase da adolescência, a ansiedade é bastante comum e, mesmo um jovem sadio, pode ter desempenho sexual insatisfatório, que poderá leva-lo a ter disfunção erétil se a condição continuar.

Quando a ansiedade se apresenta crônica, os problemas emocionais podem gerar uma disfunção erétil permanente, o que vai exigir tratamento médico mais adequado, com o uso de determinados medicamentos. Dessa maneira, sempre é importante procurar um médico, tratando também dos problemas emocionais que ataquem outros setores da vida do paciente, evitando prejuízos em sua vida social e profissional.

Veja abaixo como a ansiedade pode causar a disfunção sexual:

ansiedade-e-disfuncao-eretil

A baixa autoestima na disfunção sexual

Baixa autoestima é um dos principais fatores que podem oferecer como resultado a disfunção erétil. Da mesma forma que as mulheres, que costumam se sentir descontentes com o próprio corpo, muitos homens também apresentam essa condição, seja com relação ao próprio peso, ao tamanho do pênis ou qualquer defeito físico que o leve a ter sentimentos de vergonha, levando o homem a sentir um sentimento de pressão constante, tentando impressionar a parceira com outros atributos, como, por exemplo, um excelente desempenho sexual.

Como a disfunção sexual afeta a saúde mental?

Entre 10 a 20% dos pacientes que apresentam disfunção sexual, o problema é decorrente de fatores psicológicos. Nesse tipo de quadro, podem ser encontrados eventos traumáticos, experiências vividas ainda na infância ou mesmo acontecimentos que agregaram alta carga emocional, que podem interferir no desempenho sexual e a perfeita ereção.

Como principais causas da disfunção erétil provocada por problemas psicológicos, podemos destacar:

  • Ansiedade e medo do fracasso

Em decorrência dos valores apresentados pela própria cultura, grande parte dos homens apresenta fantasias que inibem, angustiam e interferem em sua atuação sexual com uma parceira qualquer.

O medo excessivo diante de uma possível falha durante a relação sexual pode provocar no homem um quadro de desequilíbrio emocional, impedindo a ereção.

  • Histórico de vida

Pacientes que apresentem um histórico de relacionamentos amorosos frustrados, com traumas e perdas, baixa autoestima, sentimentos de inadequação e dificuldades de aceitação, com deturpação da sua autoimagem, podem manifestar disfunção sexual.

  • Quadros depressivos

A depressão e até mesmo o uso contínuo de medicamentos para seu tratamento podem ajudar a explicar diversos casos de disfunção erétil. Muitas vezes, o paciente apresenta um quadro de redução da libido e do interesse sexual.

  • Acúmulo de cargas emocionais

O acúmulo de cargas emocionais pode se manifestar em razão de eventos de estresses relacionados à própria vida conjugal. Além disso, a condição financeira, as responsabilidades profissionais e as exigências pessoais podem colaborar para aumentar a tensão, o sentimento de culpa e o degaste físico e emocional, que vão resultar na disfunção erétil.

O homem deve fazer uma profunda análise do seu comportamento e de sua vida pregressa, uma vez que os problemas de disfunção erétil podem estar ligados a traumas vivenciados na infância e na adolescência.

Pode haver a ocorrência de uma experiência que se mostrou desastrosa, que não tenha ocorrido como o homem imaginava; podem ter havido um histórico de abusos sexuais ou estupro na infância ou na adolescência e essas situações podem provocar a impotência sexual na vida adulta.

Para uma pessoa que tenha passado por um trauma de abuso sexual na infância, por exemplo, seja ele homem ou mulher, a vida adulta pode trazer uma visão equivocada do que seja o sexo, já que ele está relacionado a algo que trouxe sofrimento.

Ask Doctor Para o homem, um trauma sexual na infância, pode torná-lo inseguro em qualquer outra experiência. Se, para a mulher, a situação pode resultar em orgasmo forçado ou baixa libido sexual, para o homem pode trazer como resultado a disfunção erétil permanente, que vai exigir terapias e, em inúmeros casos, tratamento com medicamentos.

Disfunção erétil no relacionamento

A disfunção erétil não se caracteriza apenas pela falta de libido ou pela diminuição do interesse por atividades sexuais, mas também pela falta de habilidade no homem em apresentar uma ereção que possibilite manter uma boa relação sexual.

Um fator que deve ser entendido é que o sexo é movido também por sentimentos e, na existência de atritos ou de algum tipo de decepção entre os parceiros, o relacionamento pode perder o interesse, levando a sintomas de disfunção erétil e, consequentemente, à impotência sexual.

Essa condição pode ser facilmente notada quando ocorre uma disfunção erétil situacional, decorrente de problemas de relacionamento quando, por exemplo, depois de uma discussão qualquer, o casal resolve fazer sexo e não o consegue em razão da impotência ocasional.

Mesmo que possa ser uma questão facilmente resolvida, a discussão tem o poder de soar como uma espécie de aversão e o sexo, dessa forma, vai se tornar menos prazeroso, como se fosse uma obrigação a ser cumprida, resultando na disfunção erétil.

Nesses casos, é de extrema importância que o casal sempre mantenha um diálogo sincero, discutindo a relação e tornando os temas negativos como pontos que devem ser discutidos, levando a um menor relacionamento e à melhoria consequente nas relações sexuais.

Libido e sexualidade

Existem ainda homens que podem ter o seu desempenho sexual comprometido quando mantém uma relação extraconjugal, traindo suas parceiras. A disfunção erétil, nesse caso, pode ser bem explicada pelo medo de ser flagrado, pela insegurança e ainda pela tristeza em estar decepcionando outra pessoa.

A traição é um fator que normalmente contribui para o surgimento de conflitos na relação amorosa, como, por exemplo:

  • Sentimentos de desconfiança por parte do casal, levando o homem a ter medo de uma futura traição, ou a mulher a fantasias com relação à sua capacidade em despertar interesse sexual no parceiro;
  • Crises no relacionamento conjugal, muitas vezes provocada inclusive pela disfunção erétil, que pode ser considerada passageira ou administrável. Contudo, havendo a continuidade da condição, isso pode aumentar o nível de descontentamento, a dificuldade em manter um diálogo aberto sobre o problema e a tendência ao silenciamento e distanciamento do tema;
  • Mudança de papéis, resultante da dificuldade em lidar com o assunto, levando os parceiros a adotar posições diferentes com relação ao próprio desejo. Com o receito da repetição de uma situação não completada nas relações sexuais, o casal, mesmo que de uma maneira não consciente, pode passar a alimentar uma relação mais distanciada, baseada apenas na amizade e no coleguismo, distanciando-se de suas funções sexuais no relacionamento;
  • Afastamento e inibição social, com a ausência do tratamento da disfunção erétil, que irá gerar, em médio e longo prazo, sentimentos de insatisfação, de vergonha e culpa, de inferioridade e angústia. Em decorrência dessas emoções, o relacionamento vai ficar comprometido, evitando-se as relações mais íntimas diante do medo do fracasso.

Como lidar com a disfunção erétil?

A libido é a principal responsável pelo desejo sexual, tanto para o homem quanto para a mulher que, biologicamente, precisam manter relações sexuais. Quando um homem apresenta o quadro de disfunção erétil, é muito natural que um dos pontos mais facilmente atingíveis seja a falta de interesse pelo sexo, reduzindo sua libido.

Havendo a falta de libido, o homem perde interesse pelo sexo, desencadeando, dessa forma, a disfunção erétil, com dificuldades em manter uma ereção mais prolongada ou mesmo dificuldades em conseguir o orgasmo durante as relações sexuais.

A falta de libido pode ter diversas causas atreladas, como problemas nos níveis hormonais, ou mesmo doenças que podem desencadear a falta de interesse sexual. Existem alguns medicamentos que podem apresentar como efeito colateral a falta de interesse no sexo.

Além disso, também algumas drogas ilícitas, o uso de cigarro e o excesso de bebidas alcoólicas se tornam agentes da disfunção erétil, contribuindo assim para que o homem tenha redução na sua libido.

Causas da falta de libido:
  • Andropausa
  • Baixos níveis de testosterona
  • Medicamentos
  • Drogas ilícitas
  • Tabagismo
  • Excesso de bebidas alcoólicas
  • Causas emocionais como depressão, ansiedade e estresse

Identificando o problema

O principal sintoma apresentado pela disfunção erétil provocada pela redução da libido é a falta de interesse sexual. As mulheres sofrem mais com a falta de libido do que os homens, uma vez que, durante os ciclos menstruais, sofrem de mudanças nos níveis hormonais, o que também leva o homem a entender a falta de interesse pelo sexo em algumas etapas da vida, como na menopausa ou depois de um parto, por exemplo.

No homem, no entanto, a falta de libido é bem menos esperada. Quando ela ocorre, deve haver maior preocupação não apenas por parte do homem, mas também por parte da parceira. Quando o homem é levado a fazer sexo, mesmo não sentindo desejo, somente para não demonstrar sua falta de libido, pode ter consequências mais graves, como a impotência durante a relação sexual, dificuldades em manter a ereção ou mesmo não conseguindo ter o orgasmo.

Um homem que apresenta interesse sexual reduzido, certamente também vai acabar sofrendo com suas condições psicossociais. Para um homem, é bastante difícil conversar com seu grupo de amigos sofre o assunto, informando que não está sentindo mais interesse pela sexualidade, ou mesmo de negar o sexo para sua parceira.

Essa condição vai provocar uma série de conflitos internos, levando o homem ao medo de se relacionar e frustrando sua companheira.

Tratamentos para a disfunção erétil

Poucos são os homens que conseguem conversar com seus amigos sobre a situação de disfunção erétil pela qual está passando. Falar sobre o problema pode gerar gozações e piadas de mal gosto e, bem por isso, não há como o homem conversar abertamente sobre esse tipo de dificuldade, a menos que tenha um amigo de extrema confiança.

Contudo, é de extrema importância que, se estiver sofrendo de disfunção erétil ou de impotência sexual, o homem se prepare para uma conversa séria com um amigo para simplesmente desabafar. Além disso, é necessário que também procure ajuda médica especializada para descobrir as causas do problema e submeter-se a um tratamento.

A falta de informação, os mitos e tabus que repercutem na vida do homem

Atualmente existem muitas discussões para nortear os discursos sexistas, principalmente aqueles voltados para o excesso de machismo, afirmando que o homem é quem deve ocupar os melhores cargos dentro das empresas, ou mesmo que o homem precisa de um salário maior.

Tudo o que é discutido sobre o machismo vai se refletir na vida sexual, onde o homem é sempre visto como o responsável pelas funções sexuais e que deve estar sempre pronto para essa atividade.

A pressão dos mitos e tabus terminam por prejudicar tanto o desenvolvimento da própria sociedade, como a vida pessoal de qualquer homem. Diante disso, muitos homens se sentem na obrigação permanente de se tornarem excelentes no sexo, de conseguirem a ereção de forma rápida e de não falhar em qualquer relação sexual, principalmente porque a disfunção erétil é motivo de piadas entre os amigos.

No entanto, a situação não deve ser essa. Tanto o homem quanto a mulher podem ter os dias e momentos em que não apresentam desejo sexual e, quando são forçados nessas situações, principalmente o homem pode ser levado a um quadro de disfunção erétil situacional.

Esse tipo de disfunção é bastante comum na fase da adolescência, quando o jovem se sente na obrigação de demonstrar um excelente desempenho, mesmo não tendo nenhuma experiência ou tendo apenas algumas relações anteriores.

Ask Doctor O homem precisa de despir dos preconceitos, mesmo tendo pressões externas, de amigos ou de companheiros, procurando evitar uma situação de impotência sexual. 

A importância de manter diálogo

Uma pessoa que deve estar sempre por dentro do que o homem está sentindo e do que está acontecendo é sua parceira, principalmente quando o homem está casado, ou se está namorando há mais tempo e mantinha uma atividade sexual mais ativa.

Mesmo que o homem tente esconder, a pessoas que está ao seu lado certamente vai perceber que o interesse pelo sexo não é o mesmo de antes e que as dificuldades de ereção são maiores, podendo levar ao início da deterioração do relacionamento.

Assim, é importante que o homem converse com a pessoa , seja para manter uma relação com mais sinceridade, seja para ter o seu apoio durante um possível tratamento que precise fazer.

O diálogo é aconselhado principalmente porque pode haver certa desconfiaça por parte da outra pessoa de que a falta de interesse pelo sexo seja em razão de ele manter amante ou relacionamentos extraconjugais, ou mesmo considerar que ela seja o problema ou que já não exista mais amor.

Portanto, é preciso ficar claro que a falta de interesse sexual é decorrente de outras razões, procurando um tratamento que se mostra necessário para que o relacionamento entre ambos continue o mesmo.

Buscando ajuda para a disfunção erétil

A ajuda médica é essencial nesses casos, uma vez que, além de identificar as causas da disfunção erétil, o homem é levado a sentir sintomas de depressão em decorrência de sua condição física.

Mesmo que a procura de um médico não seja nada fácil, o homem deve encarar o problema como uma situação que exige o apoio de conhecimento especializado.

Para uma pessoa que tenha passado por um trauma de abuso sexual na infância, por exemplo, seja ele homem ou mulher, a vida adulta pode trazer uma visão equivocada do que seja o sexo, já que ele está relacionado a algo que trouxe sofrimento.

O médico poderá receitar alguns medicamentos para o tratamento da disfunção erétil como os destacados a seguir:

Em caso de uso de medicamentos, sempre leia a bula para saber sobre os possíveis efeitos colaterais e se é um tratamento realmente indicado para você.

Fontes:

Seleccione
Medicamento
Preencha o formulário
O médico emite a sua prescrição
Entrega em 24h