• Serviço privado e confidencial embalagem e pagamento discretos.
  • Medicamentos Originais como na sua farmácia local
  • Tudo incluído no preço consulta, entrega & receita médica
  • Entrega em 24 horas para pedidos feitos até às 16h30
Início / Contracepção / Pílulas contraceptivas genéricas

Pílulas contraceptivas genéricas

Os medicamentos genéricos ainda não têm a confiança plena dos consumidores e pacientes, principalmente por considerarem que esses medicamentos não possuam a mesma eficácia dos medicamentos originais.

A forma mais comum de se pensar é que, quando algo custa mais barato, não possui a mesma qualidade do original. Contudo, isso não é verdade. Os medicamentos genéricos são mais baratos por terem suas patentes liberadas, ou seja, não é mais necessário que o laboratório que o desenvolveu reponha os investimentos feitos durante as pesquisas.

No caso de contraceptivos genéricos, acontece a mesma coisa: eles são mais baratos do que os originais, e é por isso que grande parte das mulheres escolhe os genéricos como opção.

Entenda mais sobre as pílulas contraceptivas genéricas.

O que são pílulas contraceptivas genéricas?

Genéricas ou originais, as pílulas contraceptivas são sem sombra de dúvida, a maneira mais eficaz de evitar qualquer gravidez indesejada. A proteção dada à mulher é de praticamente 100%, desde que seja usada de acordo com a prescrição.

O mercado farmacêutico oferece atualmente uma grande diversidade de pílulas contraceptivas hormonais, devendo cada mulher procurar aquela que seja mais adequada para suas necessidades específicas.

Cada organismo tem uma condição diferente do outro e, em razão disso, um tipo ou marca de pílula contraceptiva pode não ser tão bom para uma mulher quanto é para outra.

A melhor forma de encontrar o melhor medicamento ou, neste caso, a pílula contraceptiva mais adequada, é passando por uma consulta com um ginecologista, que vai possibilitar a indicação da melhor pílula para cada pessoa.

Para a mulher, é importante saber que, mesmo usando pílulas contraceptiva, sejam elas genéricas ou originais, os seus efeitos no organismo são totalmente reversíveis. Dessa maneira, a partir do momento em que a mulher pretender engravidar, basta parar com a medicação, retornando ao seu estado normal e podendo engravidar.

A pílula contraceptiva original já é bastante reconhecida pela sua segurança e eficácia, já que foi a primeira a aparecer no mercado, ainda na década de 1960. Desde seu lançamento, já foi e vem sendo usada por milhões e milhões de mulheres que queiram prevenir uma gravidez.

A pílula contraceptiva genérica é mais recente, mas é certo que apresenta as mesmas composições e os mesmos princípios ativos das originais.

Cada marca de pílula contraceptiva lançada no mercado passa pela aprovação da Infarmed, a entidade que controla medicamentos em Portugal, que submete qualquer medicamento à prova antes de seu lançamento para o público em geral.

Para serem aprovados, são feitos testes de bioequivalência nos medicamentos, buscando comprovar se o medicamento genérico apresenta as mesmas características dos originais e se oferecem os mesmos efeitos no organismo. Com as pílulas contraceptivas genéricas, o procedimento é o mesmo de qualquer outro medicamento.

Diante dessa constatação, é fácil prever que as pílulas contraceptivas genéricas apresentam a mesma equivalência química das pílulas originais. Por possuírem os mesmos princípios ativos, devem ser usadas com a mesma dosagem. Além disso, ambas são absorvidas na mesma proporção pelo organismo, permanecendo com o mesmo tempo de meia-vida.

Como atuam no organismo feminino

Quando a mulher faz uso das pílulas contraceptivas combinadas, tanto as originais quanto as genéricas, os dois hormônios presentes no medicamento, o estrogênio e a progesterona, fazem com que o óvulo seja liberado do ovário, não deixando que o mesmo amadureça.

A maturação dos folículos precisa dos hormônios produzidos pela hipófise, como a FSH e a LH. Com a presença de estrogênio, esses hormônios não são produzidos na quantidade exigida, havendo uma grande redução no organismo e, dessa maneira, eles não conseguem se desenvolver.

As pílulas contraceptivas genéricas apresentam também a característica de aumentar a viscosidade do muco uterino, e isso faz com que a entrada dos espermatozoides se torne mais difícil. Essas pílulas também alteram as paredes uterinas, impedindo que o óvulo, mesmo que tenha sido fecundado, não possa se prender a elas e se desenvolver normalmente como um feto.

Quando tratamos da minipílula genérica, apenas um hormônio é utilizado, a progesterona. Com o uso da minipílula, o objetivo não é impedir que o óvulo alcance a sua maturação, mas sim impedir que os espermatozoides possam penetra no útero.

Entre as pílulas contraceptivas genéricas, no entanto, já existem aquelas que fazem com que o óvulo não amadureça na maior parte das vezes.

Dessa forma, devemos entender que os ingredientes ativos das pílulas contraceptivas genéricas são os mesmos hormônios femininos, o que as leva a oferecer os mesmos efeitos das pílulas originais.

Entenda como a pílula contraceptiva funciona no organismo feminino:

atuacao-pilula-contraceptiva-no-organismo

As pílulas contraceptivas genéricas são seguras?

Mesmo com os possíveis efeitos secundários, que não atingem todas as mulheres, como acontece com qualquer medicamento de prescrição, as pílulas contraceptivas genéricas são extremamente seguras, uma vez que passam pelo sistema de fiscalização e estudos, além de um sistema de garantia de qualidade.

Essa garantia de qualidade tem início com a avaliação técnico-científica, que é a base para que o medicamento tenha autorização dos órgãos fiscalizadores para ser comercializado.

Além disso, os próprios laboratórios passam por uma inspeção de boas práticas de higiene e segurança pelos órgãos fiscalizadores de medicamentos, havendo a comprovação de que os produtos ali fabricados serão seguros para uso.

Assim, quando qualquer pessoa questiona a qualidade dos medicamentos genéricos, está colocando também em dúvida todo o sistema de avaliação por parte dos órgãos fiscalizadores, além da supervisão que é feita por eles.

Os sistemas de avaliação e de supervisão têm suas bases assentadas em conhecimento científico, o que assegura que os medicamentos genéricos oferecidos no mercado farmacêutico, desde que vendidos de forma legal, cumpram com todos os requisitos necessários de eficácia, de qualidade e de segurança.

Quando nos referimos à supervisão, a Infarmed é a responsável pela comprovação da qualidade laboratorial das pílulas contraceptivas genéricas, como faz com qualquer outro medicamento.

Essa comprovação consiste na avaliação de conformidade do medicamento, levando-se em consideração as especificações aprovadas e estabelecidas, bem como a adequação dos métodos analíticos aplicados.

Em Portugal, como acontece em outros países, é aplicado todos os anos um plano de amostragem, principalmente em face do grande número de medicamentos disponibilizados para uso de pacientes.

O plano de amostragem é definido com base em critérios pré-determinados, incorporando uma abordagem que se baseia no risco.

Os critérios estabelecidos estão voltados para o princípio ativo, a forma de administração, o processo de produção, a submissão de alterações que possam alterar a fabricação e o controle de qualidade, além da população-alvo do medicamento.

Medicamentos envolvidos em alertas de qualidade são retirados do mercado para novas análises e determinação de qualidade e eficácia.

Análise e aprovação de eficácia e qualidade

A análise procedida através do sistema de garantia e qualidade de medicamentos nos últimos anos vem demonstrando que medicamentos genéricos e originais não apresentam qualquer diferença.

Nessas análises, também são incluídas as pílulas contraceptivas, que não apresentam qualquer diferença em qualidade ou quantidade de ingredientes ativos dos originais.

Não se constatou também qualquer diferença com relação à amostragem conseguida no mercado, ou seja, as pílulas contraceptivas genéricas se mostram tão seguras quanto as originais.

A Infarmed, dessa forma, pode atestar com segurança que todos os requisitos de qualidade são garantidos em todo e qualquer medicamento atualmente comercializado pelas farmácias, incluindo-se, entre eles os medicamentos genéricos.

Os medicamentos comercializados pelas farmácias em território europeu, tenham sido eles produzidos em países europeus ou não, devem seguir as mesmas regras de produção, de segurança e de higiene exigidas pelas unidades industriais instaladas dentro das fronteiras dos países da Comunidade Europeia.

Eficácia das pílulas contraceptivas genéricas

A última metade do século XX marcou uma fase na indústria farmacêutica em que houve grande esforço de investigação e de desenvolvimento na área específica de medicamentos.

O esforço aplicado na época trouxe a constatação de que qualquer substância ativa deve ser completamente dissolvida para que possa desempenhar sua atividade sistêmica.

No organismo humano, o medicamento deve ser absorvido através do trato gastrointestinal, passando, em seguida, para a circulação sanguínea, sendo depois transportada para os órgãos ou locais onde o princípio ativo deve oferecer seus efeitos.

Diante disso, podemos notar que o que faz com que uma atividade terapêutica de qualquer medicamento seja eficaz, depende necessariamente de seu processo de dissolução, ou de desagregação, que possibilita liberar no organismo a substância ativa.

As condições com que ocorrem a absorção e os efeitos dos medicamentos também devem ser caracterizados pela velocidade e pela extensão com que os ingredientes ativos são absorvidos, apresentando-se disponíveis nos órgãos e nos locais em que devem exercer suas funções terapêuticas.

O que se constata, sem sombra de dúvida, é que se torna evidente que esses efeitos terapêuticos são os mesmos, desde que os princípios ativos no local de ação sejam os mesmos, ou seja, a biodisponibilidade depende apenas do medicamento adequado para cada tipo de necessidade, do regime de posologia e da dosagem.

Concluímos, portanto, que quaisquer medicamentos que apresentem a mesma composição e que ofereçam, primeiramente, a mesma biodisponibilidade, são similares e oferecem os mesmos efeitos terapêuticos. Ou seja, os medicamentos genéricos e, neste caso estamos falando das pílulas contraceptivas genéricas, oferecem a mesma eficácia e segurança.

Diferenças entre as pílulas contraceptivas originais e genéricas

A única diferença existente entre as pílulas contraceptivas originais e as genéricas é, na realidade, o seu valor de mercado, ou seja, o preço pelo qual são vendidas. As pílulas contraceptivas genéricas, da mesma forma que qualquer outro tipo de medicamento genérico, oferecem ao consumidor a vantagem econômica sobre os medicamentos originais.

A eficácia das pílulas contraceptivas genéricas é exatamente a mesma das pílulas originais, sendo, no entanto, mais acessíveis que estas, uma vez que custam menos.

A vantagem econômica das pílulas contraceptivas genéricas não é oferecida apenas para as mulheres usuárias. A opção pelos medicamentos genéricos, de uma forma geral, também representa vantagens econômicas para o serviço nacional de saúde.

Em Portugal, por exemplo, para as usuárias das pílulas contraceptivas genéricas, a vantagem se torna mais acentuada em razão do sistema de preços de referência. Dessa forma, existe o princípio da coparticipação de um valor fixo por parte do Estado e a usuária só paga a diferença entre o preço final de mercado e o valor do sistema de preços de referência.

Como se percebe, quando um medicamento original é mais caro, havendo o valor da coparticipação, o medicamento também fica mais caro para a pessoa que o está usando.

Há que se considerar ainda o fato de que, como os medicamentos genéricos são vendidos mais baratos, a situação faz com que se possa melhorar as condições de saúde da população, uma vez que se pode aumentar o número de prescrições e oferecer maior acesso aos medicamentos por parte da população.

Quando se trata de pílulas contraceptivas genéricas, o baixo valor necessário para uso durante um período, ou seja, um mês, faz com que um maior número de mulheres tenha acesso ao medicamento, podendo prevenir a gravidez indesejada.

De uma forma geral, as pílulas contraceptivas genéricas são ofertadas com redução de preço de pelo menos 30% das pílulas originais.

Efeitos secundários

Como se trata de ingredientes ativos idênticos aos das pílulas contraceptivas originais, as genéricas também apresentam efeitos secundários semelhantes, como podemos apresentar a seguir:

Efeitos secundários das pílulas contraceptivas genéricas
Mais comuns
  • Alterações de humor e de comportamento;
  • Aumento leve da pressão arterial;
  • Aumento do hormônio tiroxina na tireoide;
  • Aumento de colesterol e outros lipídeos de forma moderada;
  • Possível pigmentação da pele;
  • Funções cardíacas ligeiramente aumentadas;
  • Em alguns casos, sintomas de masculinização em razão da pequena atividade androgênica da progesterona;
  • Aumento de peso;
  • Retenção de líquidos;
  • Redução da libido.
Mais raros
  • Depressão;
  • Embolia pulmonar;
  • Trombose;
  • Infarto do miocárdio;
  • Acidente vascular cerebral;
  • Câncer do colo do útero quando há infecção do vírus papilomavírus humano;
  • Perda de cabelo;
  • Eritema.

Quais pílulas contraceptivas genéricas estão disponíveis no mercado?

São diversas as marcas de pílulas contraceptivas genéricas disponibilizadas no mercado. Contudo, a mulher não deve e não pode simplesmente escolher por si mesma.

Para prevenir uma gravidez indesejada, é essencial que ela procure seu médico ginecologista, exponha a situação e solicite a prescrição da pílula contraceptiva mais adequada para sua condição física.

Fazer uso de medicamentos sem prescrição pode trazer sérios riscos à saúde e essa condição é aplicável a qualquer tipo de medicamento, inclusive às pílulas contraceptivas genéricas.

Fontes:

Seleccione
Medicamento
Preencha o formulário
O médico emite a sua prescrição
Entrega em 24h