• Serviço privado e confidencialEmbalagem discreta e pagamento confidencial.
  • Medicamentos Originais da nossa farmácia sediada no Reino Unido
  • Serviço incluído no preço e parcelamento Consulta, prescrição e entrega no país todo
  • Entrega expresso para qualquer local de residência.

Sialorreia ou hipersalivação - Causas sintomas e tratamentos

Sialorréia: salivação excessiva ou baba. É muitas vezes causada por certos medicamentos, tais como anticonvulsivantes. Informações mais detalhadas sobre os sintomas, causas e tratamentos da Sialorréia estão disponíveis nesta página.

O que é a Sialorréia

A sialorréia ou salivação excessiva é uma doença que pode ter relação com vários tipos de infecções e doenças, por isso é preciso ter muito cuidado na hora de tratar o problema, pois um diagnóstico com a causa errada da sialorréia pode te levar a tomar medicamentos que não tratarão as causas da doença e ainda poderá causar-lhe efeitos colaterais sérios.

Numa salivação normal há a produção de 1 a 2 ml de saliva por minuto, o que corresponde a 2 litros de saliva por dia. Essa é a quantidade ideal para mantermos nossa boca devidamente lubrificada e hidratada, evitando problemas referentes a mau hálito. Se a salivação exceder esses limites, é preciso que se investigue as possíveis causas do problema para poder tratá-las.

A salivação temporária

Algumas doenças podem desenvolver um quadro de salivação excessiva temporária. É o caso da Amigdatlite, que afeta principalmente crianças e adolescentes. É muito importante estar atento a esse quadro ou outros possíveis quadros que desencadeie a hipersalivação temporária.

Possíveis inflamações na região bucal, com aparecimento de abscessos, presença constante de mau hálito e obstruções na região da faringe contribuem significativamente para a salivação temporária.

Infecções de caráter respiratório, gripes, resfriados e alergias nasais também contribuem para o excesso de salivação ou perdigoto (saliva expelida quando se tosse). São, em geral, a causa mais comum de salivação excessiva.

Causas da hipersalivação

Uma das razões mais comuns da hipersalivação é a dificuldade de engolir. Idosos que estão na fase de adaptação de dentaduras, ou mulheres em período gestacional ou ainda estomatite e infecções na boca e na garganta podem contribuir para o desenvolvimento da sialorriea, pois o excedente de saliva não consegue ser devidamente deglutido.

Principais causas da Hipersalivação

Já em recém-nascidos, a causa mais comum do excesso de saliva na boca corresponde ao período do surgimento dos primeiros dentes e a falta de maturação das glândulas salivares.

Outras muito comuns estão ligadas à doenças como tuberculose, sífilis e refluxo gastrointestinal.

Outras razões que, mesmo em menor incidência, precisam de uma atenção, são as ligadas a doenças como esclerose múltipla, autismo, paralisia cerebral, síndrome de down, demência e outros.

Outros possíveis agentes da hipersalivação

Além dessas doenças acima citadas, os medicamentos, envenenamentos e doenças neurais também podem desencadear modos de hipersalivação. Certos medicamentos prescritos para o tratamento de doenças como a esquizofrenia e asma também geram esse desconforto bucal.

Há também as questões hormonais, mulheres em período de gravidez tendem a salivar mais do que o normal, com o passar do tempo, a quantidade de saliva produzida acaba por ser normalizada, sem a necessidade de um tratamento clínico.

Já aquelas doenças que afetam diretamente o sistema nervoso e que pouco a pouco travam os movimentos ou os compromete demasiadamente também são agentes influenciadores do excesso de saliva na boca. O mal de Parkinson e a paralisia cerebral são exemplos claros, pois os que são acometidos por essas doenças chegam ao ponto de babar porque perdem a capacidade de engolir a quantidade de saliva produzida nas glândulas salivares.

Outras causas mais sérias da sialorreia podem ter ligação direta com algum processo de envenenamento. Segundo o a Biblioteca Nacional de Medicina, alguns pesticidas e venenos produzidos para o combate de insetos e ratazanas, se ingeridos pelo ser humano podem causar o excesso de saliva.

Por fim, a dentição. Segundo especialistas, está continua sendo a principal causa do problema de sailorreia. Muito comum em bebês e também em adultos quando estão com algum problema sério relativo à caries, amolecimento e outros.

A baba que ocorre com febre ou dificuldade em engolir pode ser um sinal de doença grave, incluindo:

  • Mononucleose
  • Abcesso periamigdaliano
  • Abcesso retrofaríngeo
  • Amigdalite estreptocócica
  • Amigdalite

O babar súbito pode ocorrer devido a uma intoxicação (especialmente por pesticidas) ou uma reação ao veneno de insetos ou cobras.

Outros fatores que podem causar a baba são:

  • Certos medicamentos
  • Problemas no sistema nervoso (neurológicos)

Sintomas da Sialorreia

O sintoma mais óbvio da Sialorreia é a salivação excessiva, impedindo alimentação e outras atividades. No entanto, uma ocorrência única desta experiência não significa que o individuo esteja sofrendo com Sialorreia, e há muitos fatores que poderiam influenciar tal evento. Se os sintomas de hipersalivação são recorrentes, é recomendável administração para que a pessoa possa continuar outras atividades que estaria impedida, como comer, falar e etc.

Entre os principais sintomas estão:

  • Problemas em manter a saliva na boca
  • Problemas de deglutição
  • Excesso de produção de saliva

Como deve ser administrada a sialorréia?

  • Terapia ajudará a fortalecer o rosto e os músculos da boca para que possa controlar a saliva. Terapeutas também podem ajudá-lo com a postura, e mostrar-lhe como segurar a cabeça para evitar babar.
  • Máquina de sucção portátil pode ajudar a remover a saliva da boca.
  • Medicamentos podem ser usados para reduzir a quantidade de saliva na boca. Estes incluem comprimidos, inaladores, injeções ou adesivos transdérmicos.
  • A radioterapia é usada para impedir a formação de saliva nas glândulas salivares.
  • A cirurgia pode ser considerada para fechar ou remover suas glândulas salivares. Ou também pode ser considerada para matar os nervos que controlam as glândulas.

Cuidados e tratamentos

É importante que para um melhor diagnóstico da possível causa da sialorreia, o paciente se atente ao detalhes, tais como:

  • Quando iniciou?
  • Que possíveis correlações a sialorreia têm?
  • O dentista já deu um parecer para eliminar os casos referentes a mau hálito, dentição e outros?

Após o detalhamento de todas essas questões e as demais relativas a outros fatores que podem causar um processo de salivação temporária ou ainda que não se liguem a fatores como envenenamento ou doenças neurais, o profissional da área recomendará o melhor tipo de tratamento, de acordo com as suas necessidades e causa da hipersalivação.

É importante ressaltar que não se tem um medicamento específico que possa tratar a salivação excessiva, por isso é tão importante reconhecer qual o fator vetor que desencadeou esse processo, pois é tratando a causa que os efeitos (como a sialorreia) serão devidamente combatidos. Um medicamento que tem sido bastante utilizado é o Scopoderm, que normalmente trata os enjoos de viagem e por isso consegue controlar a salivação permitindo que o indivíduo tenha uma rotina normal, no entanto, esse medicamento apenas é prescrito por médicos brasileiros.

Para além, procure fazer algumas mudanças no seu dia-a-dia, como toda vez após uma refeição, fazer uma escovação nos dentes e língua, bem como o uso contínuo de antissépticos bucais para uma limpeza mais completa da região bucal e arredores.

Para crianças, principalmente em fase recém-nascidas, procure evitar que elas mordam tudo que vêem no período de surgimento dos dentes, pois podem piorar o quadro de salivação do seu bebê.

A Sialorreia ou hipersalivação apenas possui tratamentos não rotulados, portanto, somente o seu médico após consulta presencial pode decidir como lidar com essa condição. Nós, 121doc, não recomendamos qualquer tratamento para essa condição.

Estudos sobre o uso de Escopolamina (Scopoderm) para salivação excessiva

Introdução:

A sialorréia é um sintoma angustiante que acompanha o câncer bucal e muitas condições heterogêneas relacionadas ao câncer (náuseas induzidas pela quimioterapia, suboclusão intestinal, efeitos colaterais farmacológicos), mas sua incidência é baixa em pacientes com câncer. Por outro lado, é freqüente em pacientes com lesão neurológica, e algumas opções terapêuticas têm sido tentadas, como toxinas botulínicas, agentes anticolinérgicos e procedimentos cirúrgicos.

Relato de caso

Foi realizado o teste com uma paciente do sexo feminino de 80 anos com carcinomatose peritoneal e suboclusão intestinal, que sofria de náuseas e sialorréia que melhoraram rapidamente usando escopolamina transdérmica. Não ocorreram efeitos colaterais relevantes durante o tratamento, e a redução da salivação anormal permitiu a recuperação da alimentação oral.

Conclusão

Os fármacos anticolinérgicos são classificados como opções secundárias no tratamento da sialorréia de doentes com doença de Parkinson ou paralisia cerebral, devido aos efeitos secundários relevantes que ocorrem durante tratamentos prolongados. No entanto, eles podem ser úteis em pacientes com câncer com suboclusão intestinal, como a redução das secreções gastrointestinais e motilidade intestinal (efeitos colaterais freqüentes de drogas anticolinérgicas) poderia ser eficaz no controle de náuseas, vômitos e dor abdominal. Além disso, a via de administração transdérmica ou sublingual pode ser de algum interesse, evitando outras abordagens parentéricas mais invasivas.

Quais são os riscos de sialorréia?

Sialorréia pode levar a lábios rachados, ruptura da pele, odor e infecção da boca. A baba pode perturbar o sono. A voz pode parecer úmida ou pode espirrar saliva ao falar. A sialorréia pode reduzir a qualidade de vida, pode se envergonhar e afastar o individuo de outras pessoas. Sialorréia grave pode causar desidratação ou asfixia. Estes podem tornar-se fatais.

Preocupações médicas:

Se não tratada, posteriormente a sialorréia pode ter a consequência séria de aspiração crônica que resulta em infecções recorrentes e doença pulmonar progressiva.

A presença de saliva no queixo leva à necessidade limpeza frequente, causando irritação e quebra da pele. 

Preocupações psicossociais:

Baba em excesso pode resultar na necessidade de trocas frequentes na roupa, podem danificar livros, computadores, brinquedos e outros equipamentos, e espirros de saliva podem ocorrer enquanto conversa.

Consciência social experimentada por crianças / jovens, seus responsáveis e irmãos podem ser consideráveis ​​e podem levar ao isolamento e baixa autoestima.

Fontes:

Seleccione
Medicamento
Preencha o formulário
O médico emite a sua prescrição
Entrega em 7-10 dias