Falar no Chat 11 4933-7711 Outras cidades
Equipe de suporte ao paciente: Seg. à Sex. das 06:00h às 17:00h
(Horário de Brasília)
  • Serviço privado e confidencial Embalagem discreta e pagamento confidencial
  • Apenas medicamentos originais Medicamentos enviados da nossa farmácia registrada no Reino Unido
  • Tudo incluído no preçoConsulta médica, prescrição e entrega expresso
  • Entrega em 7-10 dias

Prevenção, cuidados e complicações do vírus do herpes

Atualmente, perto de 90% da população mundial possui em seu organismo o vírus da herpes labial ou pode ser contaminada nos próximos anos.

Estar infectado com o vírus do herpes não significa, obrigatoriamente, apresentar os sintomas, com feridas e lesões nos lábios, na boca e na face, já que o vírus pode ficar latente nas terminações nervosas, só aparecendo através dos sintomas quando algum fator desencadeia um novo surto, ou recidiva, aparecendo as feridas. Veja nessa página como prevenir a contaminação do herpes, como lidar com surtos e possíveis complicações.

Como a contaminação do vírus herpes acontece e como previnir?

O vírus Herpes simplex apresenta-se em duas variedades: o HSV-1, que é o mais frequente e que ataca principalmente a boca, provocando feridas quando os sintomas são aparentes, e o HSV-2, responsável pelo herpes genital.

Como funciona o vírus

O HSV-1 é um vírus que ataca desde a infância, quando uma criança tem contato com a mãe, com parentes ou qualquer outra pessoa que tenha em seu organismo o vírus, podendo ser transmitido através do contato com a saliva, através de um beijo na face, por exemplo, ou mesmo em contato com outras crianças que já estejam contaminadas.

O HSV-2, causador do herpes genital, pode ser transmitido através de relações sexuais com pessoas infectadas, quando acontecem relações não protegidas. Em idade sexual ativa, pode haver, inclusive, cruzamento de infecção, quando uma pessoa é contaminada na região oral com o vírus genital ou vice-versa.

Maneiras de prevenção

como previnir o herpes genital
  1. Use preservativos toda vez que tiver relações sexuais.

    Preservativos de látex pode protegê-lo contra o vírus do herpes se ele cobre a área infectada.

  2. Pergunte ao seu parceiro se ele ou ela já teve uma doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

    A maioria das pessoas que têm herpes genital não sabe que estão infectadas, então pergunte se ele ou ela teve qualquer outra doença sexualmente transmissível. Pessoas com história de DSTs têm maior probabilidade de ter herpes genital. Pode ser estranho, mas é importante ser honesto um com o outro. Seu parceiro pode ter medo de dizer a verdade se ele ou ela teme uma reação negativa. Se seu parceiro se sente confortável ao conversar, você não conseguirá respostas diretas.

  3. Pergunte ao seu parceiro sobre sua história sexual.

    Alguém que teve muitos parceiros sexuais tem mais riscos de ter sido infectado com o vírus do herpes.

  4. Limite o número de parceiros sexuais.

    Quanto menos parceiros sexuais tem em sua vida, será menos provável estar exposto ao vírus do herpes.

  5. Não faça sexo com um parceiro que tenha feridas em seus genitais.

    Se você sabe que seu parceiro tem herpes genital, sempre abster-se de sexo quando os sintomas estão presentes. Ou, se vir uma ferida nos genitais de alguém, não faça sexo com essa pessoa até ter certeza de que ele ou ela não tem herpes genital. Lembre-se, nem todo mundo com herpes genital tem sintomas, herpes e feridas podem ser muito difíceis de detectar.

  6. Não receba sexo oral de alguém com ferida.

    O herpes oral, que causa feridas na boca (conhecido como feridas frias de bolhas de febre), pode ser passado para os genitais através do sexo oral.

  7. Peça ao seu parceiro para fazer um teste de herpes genital.

    Se acha que seu parceiro tem alto risco de herpes genital, pode considerar pedir-lhe para ser testado. Nesse caso, você deve ser testado, também.

  8. Não tenha relações sexuais se tiver bebido muito ou utilizado drogas.

    Álcool e drogas ilícitas diminuem as inibições e prejudicam o julgamento. As pessoas tendem a ser menos cuidadosas em praticar sexo seguro enquanto estão intoxicadas e muitas vezes se arrependem mais tarde.

Cuidados durante um surto da Herpes

A infecção pelo vírus Herpes simplex é bastante diferente de um surto de herpes. No surto, surgem os sintomas, com bolhas e lesões na região mais propícia para o tipo de vírus, seja o HSV-1 ou HSV-2.

Herpes Genital

Os cuidados maiores devem ser tomados exatamente na época dos surtos, mantendo proteção nos lábios com medicamentos para que não haja facilidade na transmissão para outras pessoas. Evitando contato com pessoas sintomáticas, pode-se prevenir a contaminação pelo vírus.

É importante também manter a higiene nas mãos, evitando contato com objetos usados por uma pessoa que esteja manifestando os sintomas, já que o vírus pode ser transmitido pelo contato direto com a saliva, no caso do HSV-1.

No caso do HSV-2, que também é transmitido pelo contato direto da pele com pele, deve-se evitar relações sexuais em períodos de surto, quando os sintomas são evidentes. Quando não estão sendo manifestados sintomas, o vírus pode, eventualmente, ser transmitido para uma pessoa não infectada, exigindo que as relações sexuais sejam praticadas com o uso de preservativo.

O maior risco da contaminação pela herpes está exatamente no contato com pessoas que apresentam o surto, com manifestação dos sintomas. Entre os períodos de latência do vírus, o herpes oral não apresenta tanta facilidade na transmissão, já que permanece adormecido nas células nervosas.

Quais os fatores que levam a um surto de herpes e como preveni-lo?

O surto de herpes ainda não é totalmente compreendido pela medicina. Existem alguns fatores que são considerados para que os sintomas se manifestem, com a ativação do vírus, como o estresse, o enfraquecimento do sistema imunológico por alguma razão, como uma gripe, febre ou resfriado, por exemplo. Alguns outros fatores, como flutuação hormonal nas mulheres, durante o ciclo menstrual, excesso de luz solar, tratamentos com medicamentos que possam enfraquecer o organismo ou até mesmo situações emocionais de grande impacto podem provocar um surto de herpes.

Existem alimentos que podem prevenir um surto de herpes?

Alguns alimentos que fortalecem o sistema imunológico podem prevenir um surto de herpes. Esses alimentos são, preferencialmente, aqueles que contém grande quantidade de ferro, de zinco e selênio, além de vitaminas, como as vitaminas A, E, B6 e C.

Incluir no cardápio alimentos como carne de boa qualidade, sem gordura, leguminosas e oleaginosas (gergelim, abóbora, sementes de girassol), frutas (damascos), legumes (cenouras), pimentas, frutas cítricas, castanhas e cereais integrais são uma boa maneira de aumentar a capacidade do sistema imunológico, evitando que o vírus possa se manifestar e apresentar os sintomas.

Prevenção de radiação solar pode prevenir a herpes?

O sol forte é um dos fatores que podem desencadear um surto de herpes. A radiação UV-B já foi estudada por médicos especialistas, que verificaram que sua incidência pode reativar o vírus do herpes labial.

Para prevenir surtos numa pessoa infectada, além de evitar os horários mais quentes do dia, é necessário usar filtro solar, aplicado sobre as áreas que possam ser afetadas, e se proteger contra a radiação ultravioleta.

Ação imediata pode impedir a herpes?

A indústria farmacêutica oferece diversos tipos de cremes e pomadas para o tratamento do herpes labial. Esses medicamentos não ajudam a prevenir o surto do vírus por completo, mas podem aliviar os sintomas, reduzindo a duração da manifestação da infecção.

Cremes contendo óxido de zinco ou Zinkglycin, podem encurtar a duração das erupções labiais após um período de um a três dias, aliviando o ardor e reduzindo as feridas. O creme deve ser aplicado a cada duas horas assim que surgirem os primeiros sintomas.

Os medicamentos cujos princípios ativos sejam o Aciclovir, Famciclovir ou Valaciclovir também ajudam a reduzir a duração da doença, desde que convenientemente aplicados diretamente sobre as lesões logo no início dos sintomas.

O creme Aciclovir deve ser aplicado como um protetor solar sobre as áreas mais afetadas da pele, evitando excesso de exposição ao sol, reduzindo o risco de novos surtos do herpes.

Tratamento Administração Princípio Activo Duração Posologia Saiba mais
Valtrex embalagem de Valtrex
Comprimidos Valaciclovir 5 dias 1 vez/dia Consulta
Famvir Embalagem de Famvir
Comprimidos Famciclovir 24 horas 1 vez/dia Consulta
Aciclovir Embalagem de Aciclovir
Comprimidos Aciclovir 5 dias 5 vezes/dia Consulta

Que outras estratégias podem prevenir a herpes?

A medicina comprovou que o surto de herpes pode ser provocado por estresse emocional. Assim, recomenda-se que pessoas infectadas e que já tenham conhecimento da presença do vírus em seu organismo, evitem excesso de carga de trabalho e o excesso da própria vida cotidiana o máximo possível.

Uma pessoa infectada pode reduzir as chances de surto do herpes através de técnicas de relaxamento, aumentando sua própria resistência ao estresse, além de atividades físicas, que ajudam a fortalecer o sistema imunológico.

Outros meios de minimizar a capacidade do vírus do herpes é evitar o fumo e outros estimulantes, excesso de bebidas alcoólicas e um descanso suficiente à noite, com horas de sono necessárias para a completa recuperação do organismo.

A vitamina D é um excelente nutriente para fortalecimento do sistema imunológico, recomendando-se que a pessoa infectada tome sol todos os dias, nos horários em que a luz solar direta seja evitada, como na parte da manhã ou final da tarde.

Quais são os riscos e complicações de uma infecção por herpes?

O surto de herpes simplex tipo 1 provoca bolhas nos lábios e na região da boca, apresentando-se como um sintoma visível e bastante desagradável. Com o vírus simplex tipo 2, a região atacada é a genital, onde ocorrem feridas e lesões, com prurido e coceiras que, mesmo não sendo visíveis ao público, podem se tornar também bastante desagradáveis.

Essas condições, no entanto, podem ser tratadas com medicamentos, fazendo com que os sintomas desapareçam em poucos dias. Fato que não elimina totalmente os vírus, já que atualmente ainda não existe uma vacina ou medicamento capaz de erradica-los do organismo humano.

Os vírus da herpes podem levar a complicações graves, que incluem infecção em áreas maiores da pele, inflamação da retina (que pode levar à cegueira), inflamação na meninge (o revestimento do cérebro) ou do sistema nervoso, provocando paralisia no rosto.

Os especialistas médicos também aventam a possibilidade de que o vírus da herpes pode prejudicar os neurônios, criando condições para a instalação de doenças na idade mais velha, podendo, inclusive, aumentar as chances de desenvolvido do mal de Alzheimer.

Fontes:

Seleccione
Medicamento
Preencha o formulário
O médico emite a sua prescrição
Entrega em 7-10 dias