Falar no Chat 11 4933-7711 Outras cidades
Equipe de suporte ao paciente: Seg. à Sex. das 06:00h às 17:00h
(Horário de Brasília)
  • Serviço privado e confidencial Embalagem discreta e pagamento confidencial
  • Apenas medicamentos originais Medicamentos enviados da nossa farmácia registrada no Reino Unido
  • Tudo incluído no preçoConsulta médica, prescrição e entrega expresso
  • Entrega em 7-10 dias

Como o Viagra funciona?

Estima-se que mais de 80 milhões de homens no mundo todo apresentem problemas de disfunção erétil. Somente em Portugal, os consultórios especializados recebem 500 mil pacientes a cada ano. Considerando que grande parte dos homens sente constrangimento em procurar um médico diante da situação, o número certamente é bem maior.

Os medicamentos recomendados por médicos para o tratamento da disfunção erétil, como o Viagra, ajudam o homem a recuperar a sua autoconfiança, conseguindo, assim, manter o seu relacionamento e uma vida sexual normal e satisfatória.

Viagra contra impotencia

Veja nessa página como o Viagra funciona no tratamento da disfunção erétil e a razão pela qual tantos homens optam por tal tratamento.

Como a ereção acontece e como o Viagra funciona?

A ereção é, sem qualquer dúvida, o sintoma mais visível do desejo sexual por parte do homem. Para entendermos melhor essa função masculina e se o Viagra é eficaz nos diversos casos de impotência sexual, é preciso conhecer o seu funcionamento, tanto do ponto de vista orgânico quanto psíquico.

Como a ereção ocorre?

Processo físico da ereção

O órgão sexual masculino apresenta duas funções: a excretora, para eliminar a urina, e a reprodutora. Para que o pênis possa cumprir com as funções reprodutoras ou para oferecer o prazer sexual (uma vez que o ser humano é o único animal que se utiliza do sexo também por prazer), é necessário que seu órgão sexual tenha ereção.

A ereção é um processo orgânico que funciona da seguinte forma: o pênis possui, em seu interior, duas câmaras de formato cilíndrico denominadas corpos cavernosos, que se estendem por todo o órgão.

Os corpos cavernosos possuem duas artérias e muitas veias menores ao seu redor, que têm a capacidade de aumentar ou diminuir o fluxo de sangue para o pênis, sendo esse o processo de ereção, que deve ser mantido durante toda a relação sexual, havendo o relaxamento apenas depois do orgasmo.

Processo psicológico da ereção

Diferentemente do animal irracional, que só copula em épocas propícias, movido pelos feromônios, o homem dá início à ereção e ao desejo sexual no cérebro, através de algum estímulo sensorial, que pode ser um cheiro, uma imagem, um contato físico ou um som, fazendo com que seu sistema nervoso envie a mensagem química para os vasos sanguíneos de seu órgão genital.

Quando isso ocorre, as artérias do pênis se relaxam, permitindo que entre mais sangue nos corpos cavernosos, fechando as veias para que a pressão mantenha o sangue nesses corpos, sustentando a ereção pelo tempo necessário para que haja a penetração e a relação sexual completa, até o orgasmo.

A falta de ereção

A disfunção erétil se caracteriza exatamente pela dificuldade ou pela incapacidade de manter uma ereção durante toda a relação sexual. Nesse caso, alguma coisa interfere, seja no processo físico ou psicológico, como vimos anteriormente, impedindo que o sangue possa fluir livremente para dentro do pênis ou não permitindo que haja pressão suficiente para ali permanecer.

A grande maioria dos homens sente a disfunção erétil algumas vezes ao longo de sua vida sexual ativa. No entanto, quando o problema se apresenta de forma mais frequente, é preciso buscar ajuda especializada. O urologista é o médico especialista para analisar a situação e prescrever um tratamento, como uma medicação vasodilatadora, ou seja, o Viagra ou outro medicamento similar.

O papel do Viagra sobre a ereção

O Viagra foi o primeiro lançado de um grupo de drogas chamadas inibidores da PDE-5. Essencialmente, esses medicamentos ajudam os músculos dos vasos sanguíneos a relaxarem, o que permite que os vasos que correm através do pênis se expandam o suficiente para se tornarem firme. Esses medicamentos possuem extrema eficácia em ao retardar uma enzima encontrada no tecido esponjoso do pênis, isso aumenta o fluxo sanguíneo no pénis, o que possibilita ou mesmo apenas melhora a qualidade da ereção.

Principais razões que impactam o efeito do Viagra

Como se trata de um medicamento que apenas interfere nas funções orgânicas, o Viagra pode não trazer os efeitos desejados, não conseguindo manter a ereção durante a relação sexual. Entre os principais motivos que podem impactar o seu efeito, podemos destacar os seguintes:

Ansiedade

Entre as principais causas de origem não orgânica que podem interferir no desempenho masculino para uma relação sexual completa está a ansiedade. A mesma é responsável por boa parte dos casos de impotência psicológica.

Ansiedade Causa Impotencia

É normal que as pessoas, tanto homens quanto mulheres, sintam ansiedade antes da relação sexual, mas ela se pode tornar recorrente e incontrolável, passando a se tornar um empecilho para que o homem experimente uma relação sexual normal e satisfatória, transformando o que poderia ser um momento de relaxamento e prazer numa desagradável experiência.

Em determinados casos, o homem se sente tão dominado pela ansiedade que passa até a evitar manter um relacionamento ou procurar o sexo por prazer. A ansiedade pode ser provocada por traumas ou medos infundados, como aparência, tamanho do pênis, medo de não satisfazer a parceira ou parceiro, receito de não corresponder às expectativas e até mesmo dificuldades no relacionamento.

Ao atingir um nível insuportável para o homem, a ansiedade provoca outras questões ligadas às emoções, gerando uma situação que pode ser considerada, segundo os psicólogos, como "luta ou fuga". Nessa condição, vários tipos de hormônios são liberados no organismo, gerando uma sensação insuportável de medo e desconforto.

Em casos mais graves de ansiedade diante do sexo, muitas vezes é necessário prescrever medicamentos específicos contra a ansiedade, além do próprio medicamento contra os problemas de disfunção erétil.

Falta de libido

Um alto número de homens que utiliza o Viagra chega a pensar que se trata de um medicamento que aumenta a libido do usuário, o que não corresponde à verdade, já que se trata de um produto farmacêutico dedicado exclusivamente a oferecer condições orgânicas para manter a ereção.

O Viagra não é um fármaco afrodisíaco, não foi desenvolvido para aumentar a libido. Os problemas de impotência sexual relacionados com a libido devem ser tratados com outros medicamentos, além de haver a necessidade de acompanhamento psicológico ou terapêutico.

O Viagra não é um medicamento que age sobre o desejo sexual do homem e, quando ele pensa assim, está apenas sentindo um efeito placebo do princípio ativo do Viagra sobre seu psiquismo.

A ação do Viagra é puramente vasodilatadora e facilitadora da ereção. O homem, ao fazer uso do Viagra, está gerando condições para que seu organismo alcance a ereção com mais facilidade através de estímulos táteis e visuais. Ou seja, o Viagra não oferece a ereção pura e simplesmente, se não houver estímulos externos ou internos voltados para o sexo.

Outras razões pelas quais o Viagra pode não funcionar

Pode ocorrer também que o Viagra não funcione, não levando o homem a conseguir a ereção completa para manter uma relação sexual satisfatória. Na maior parte dos casos, a falta de eficácia do Viagra é decorrente de uma utilização errada do medicamento.

O Viagra pode não oferecer o efeito desejado em situações como as seguintes:

  • Quando o usuário com disfunção erétil imagina que o medicamento irá oferecer a ereção mesmo sem qualquer estímulo sexual;
  • Quando o homem, mesmo não estando no grupo de precauções para o uso do Viagra, toma uma dose menor que a recomendada, lembrando que o ideal para a maior parte dos casos de disfunção erétil é a dosagem intermediária de 50 mg;
  • Quando o homem com disfunção erétil tenta manter uma relação sexual assim que toma o Viagra, sem levar em conta que o princípio ativo pode levar até uma hora para gerar qualquer efeito;
  • Quando o homem desiste de utilizar o Viagra depois de não sentir os efeitos desejados, ressaltando que o medicamento pode não apresentar qualquer efeito na primeira tentativa e, diante disso, é recomendado que sejam feitas pelo menos 6 tentativas antes de saber se o Viagra realmente não está funcionando para o seu caso específico.

O que fazer se o Viagra não funcionar?

Se o Viagra não funcionar mesmo com todas as recomendações e cuidados, é possível que o caso de disfunção erétil apresentado exija outro tipo de tratamento ou mesmo a utilização de uma dose diferente do que a recomendada pelo médico.

O medicamento possui três doses diferentes e saber qual é a mais adequada para o seu caso, influencia diretamente na eficácia e segurança do mesmo.

doses do viagra

O Viagra, assim como outros medicamentos similares para tratamento de disfunção erétil, consegue solucionar mais de 80% dos casos. Segundo as estimativas, o Viagra é, atualmente, o sexto medicamento mais vendido no mundo todo nos últimos anos, em razão de seu alto nível de eficácia para os casos de impotência, servindo para tratamento de diversos níveis e origens.

Há diversos medicamentos disponíveis do mercado para o tratamento da disfunção erétil, sendo os inibidores da PDE5 considerados a solução mais adequada para a condição. No entanto, além de outros cuidados mencionados, é necessário também ter paciência.

O homem quando sofre de disfunção erétil procura por uma solução imediata, o que é natural. No entanto, muitas vezes os medicamentos inibidores da PDE5 podem levar mais do que uma utilização para funcionar em diferentes organismos. Uma pesquisa demonstrou que o Viagra pode levar até 8 utilizações para funcionar efetivamente.

O conselho do médico ao prescrever tal medicamento, é que realize tentativas suficientes e conheça o funcionamento completo do medicamento no seu organismo antes de partir para outras tentativas.

Quais são as alternativas ao Viagra?

Alternativamente o médico pode prescrever outros medicamentos inibidores da PDE5 caso o Viagra não seja apropriado ao seu caso. Tais medicamentos oferecem a mesma eficácia e segurança, mas podem ser aceitos de maneira diferente pelo organismo do usuário. Veja alguns exemplos:

Cialis: Foi aprovado pela instituição Food and Drug Administration dos EUA em novembro de 2003. Terceiro medicamento de prescrição produzido para disfunção erétil, foi introduzido no mercado logo após o Viagra e Levitra. Cialis funciona por até 36 horas, ao contrário de Viagra e Levitra. Cialis, também apresenta uma versão diária, que pode ser utilizada como tratamento a longo prazo para a condição.

  • Disponível em doses diárias e sobre demanda
  • Dose diária oferece solução de longo prazo
  • Dose sob demanda tem duração de 36 horas

Levitra: O ingrediente ativo Vardenafil, foi identificado em 1994. Em 2002 Levitra foi apresentado ao mercado por três empresas farmacêuticas - Bayer Pharmaceuticals, GlaxoSmithKline e Schering-Plough. O medicamento foi aprovado pela FDA 2003. O mesmo é conhecido como uma opção segura e livre de riscos, pois pode ser utilizado mesmo se o individuo possui outros problemas de saúde.

  • Adequado para homens com mais de 50 anos
  • Seguro em caso de condições subjacentes
  • Efeito em 15-30 minutos e duração do efeito até 5 horas

Veja abaixo as principais diferenças entre eles:

Viagra
Viagra Tabletten und Packung
Activo em: 30-60 min
Duração: 5 horas
Dosagem: 25, 50, 100mg
Mais sobre o Viagra
Cialis
Cialis Packung und Tabletten
Activo em: 30-60 min
Duração: 36 horas
Dosagem: 10, 20 mg
Mais sobre o Cialis
Levitra
Levitra Packung und Tabletten
Activo em: 30min
Duração: 5 Horas
Dosagem: 5, 10, 20 mg
Mais sobre o Levitra

Fontes:

Seleccione
Medicamento
Preencha o formulário
O médico emite a sua prescrição
Entrega em 7-10 dias